Ibovespa abre sessão em alta, após fechar o quarto mês seguido em queda

Nesta segunda-feira, emenda do feriado do Dia de Finados, o mercado direciona as atenções para a COP 26, na cidade escocesa de Glasgow.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em alta na abertura do primeiro pregão de novembro, com ganho de 0,87%, a 104.399,35, pontos por volta das 10h20, horário de Brasília. A bolsa paulista inicia o período com viés positivo após engatar quatro meses seguidos de queda. Mas as incertezas internas devem continuar adicionando volatilidade aos negócios, em semana que também reserva decisão de política monetária nos Estados Unidos.

Nesta segunda-feira, emenda do feriado do Dia de Finados, amanhã (2), o mercado direciona as atenções para a COP 26, a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021, na cidade escocesa de Glasgow. A cúpula começa um dia depois de os líderes do G20 se esquivarem de assumir a meta de encerrar as emissões de carbono até 2050, um prazo citado amplamente como necessário para evitar um aquecimento global mais extremo.

LEIA TAMBÉM: Boletim Focus: Mercado vê inflação em 2021 acima de 9% e Selic em mais de 10% em 2022

Os investidores também levam em consideração as estimativas apresentadas, nesta segunda-feira, pelo Banco Central no Boletim Focus, como nova piora dos indicadores. Segundo a pesquisa, desta vez, a Selic é prevista num patamar de dois dígitos em 2022, quando a inflação ficará ainda mais distante da meta.

A taxa básica de juro irá a 10,25% ao fim de 2022, ante previsão anterior de 9,50%. Ao fim de 2021, a Selic estará em 9,25%, ante 8,75% do cenário mostrado na semana passada. Por sua vez, o dólar ficará mais caro e irá a R$ 5,50 ao término de 2021 e de 2022, contra taxa anterior de 5,45 reais para ambos os anos. E a inflação prevista foi novamente elevada, para 4,55% em 2022, de 4,40%, e 9,17% neste ano, ante 8,96% na pesquisa anterior.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O dólar avança ante o real por volta das 10h20. A moeda era negociada em alta de 0,18%, a R$  5,6500.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Mercados internacionais

Os índices S&P 500 e Nasdaq abriram em máximas recordes nesta segunda-feira, liderados por ganhos na Tesla e em ações de energia, no início de uma semana repleta de dados econômicos e que pode contar com possível anúncio de redução das compras de títulos do Federal Reserve.

O Dow Jones tinha variação positiva de 0,04%, a 35.833,65 pontos. O S&P 500 subia 0,11%, a 4.610,62 pontos, enquanto o Nasdaq avançava 0,28%, para 15.541,26 pontos.

Tesla Inc subia 3,5% nas negociações de pré-mercado, que indicavam abertura em patamar recorde para a ação depois de a empresa atingir 1 trilhão de dólares em capitalização de mercado na semana passada. Papéis de outras companhias de megacapitalização de mercado, como Alphabet, Meta Platforms (Facebook Inc), Microsoft, Amazon.com e Apple tinham desempenho misto.

Exxon Mobil e Chevron Corp adicionavam cerca de 0,7% cada, com o JPMorgan aumentando o preço-alvo para as principais petrolíferas após seus fortes resultados trimestrais na semana passada.

Os principais credores de Wall Street, Bank of America, Wells Fargo & Co, Morgan Stanley, Goldman Sachs e JPMorgan, ganhavam entre 0,2% e 0,8%. O setor financeiro mais amplo do S&P 500 caiu na semana passada, quebrando uma sequência de três semanas de alta.

Na Europa, as ações europeias bateram máximas recordes, adentrando novembro com um forte impulso vindo de relatórios de lucros animadores, enquanto uma alta nas ações bancárias impulsionava os mercados da zona do euro.

O clima global também era apoiado por impulso pós-eleitoral no Japão e pela estabilização dos preços do carvão na China.

Os bancos da zona do euro saltavam 2,2% –atingindo seu nível mais alto em mais de dois anos–, enquanto investidores seguravam suas apostas por dois aumentos nas taxas de juros pelo Banco Central Europeu (BCE) no próximo ano.

“Há muito otimismo em relação aos balaços corporativos, é o fator positivo pelo qual as empresas se recuperando”, disse David Madden, analista de mercado da Equiti Capital. “Passamos muito tempo temendo a redução gradual dos estímulos em setembro e no início de outubro. Acho que as pessoas agora verão a redução gradual como um sinal positivo, de que o círculo pode ser completamente fechado.”

O Stoxx 600 tinha alta de 0,61%, a 478,40 pontos. Em Frankfurt, o Dax subia 0,88%, a 15.826,94 pontos; e em Paris, o CAC-40 ganhava 1,03%, a 6.900,96 pontos. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: