Ibovespa fecha no azul com impulso de commodities e tramitação da PEC dos Precatórios

Dólar recuou e fechou abaixo dos R$ 5,60, mas longe das mínimas do dia, que viu a moeda norte-americana se valorizar no exterior.

Diana Lott
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou em alta de 0,83%, a 104.514 pontos, acompanhando o aumento dos preços de commodities, principalmente do minério de ferro. De Brasília, as discussões sobre a PEC (proposta de emenda constitucional) dos Precatórios também ditaram o ritmo do mercado, e o projeto ganhou data para ser votado pelo plenário do Senado: terça-feira (30).

Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo na Casa, propôs sete alterações ao texto que foi aprovado pela Câmara para angariar maior apoio entre os senadores. As mudanças incluem a definição do Auxílio Brasil, com benefício no valor de R$ 400,00, como um programa social de caráter permanente, e a vinculação do espaço fiscal a ser aberto com a proposta – mais de R$ 100 bilhões – a despesas com o novo programa social, a gastos previdenciários e a mínimos constitucionais para a educação e a saúde, entre outros pontos.

Analistas temem, no entanto, que as mudanças prolonguem a tramitação da PEC, que teria de ser votada novamente pelos deputados se o projeto for modificado.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Um dado importante que ajudou os mercados foi a arrecadação federal de outubro, que teve novo recorde e ficou em R$ 179 bilhões, acima do esperado. São surpresas fiscais com superávit primário e queda [do indicador] dívida líquida/PIB que aos poucos vão repercutindo positivamente na Bolsa”, diz João Beck, economista e sócio da BRA.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em Wall Street, o S&P 500 avançou 0,23%, a 4.701 pontos, e o Nasdaq subiu 0,44%, a 15.845 pontos. O Dow Jones fechou próximo à estabilidade, com leve queda de 0,03%, a 35.804 pontos.

Os investidores aguardavam com expectativa a divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve, o banco central norte-americano, ocorrida no fim da tarde de hoje. O documento mostrou que vários formuladores de política monetária estão abertos a antecipar o fim do programa de compra de títulos se a inflação alta se mantiver, assim como a agir mais rapidamente para aumentar as taxas de juros.

Uma redução antecipada desses estímulos indicaria maior chance de a rentabilidade dos títulos emitidos pelos EUA aumentar, atraindo, assim, recursos que poderiam estar direcionados antes a ativos de mercados emergentes, como o Brasil.

O dólar fechou em queda de 0,24%, a R$ 5,5948, mas longe das mínimas do dia, enquanto no mercado futuro a moeda chegou ao fim da tarde em alta, com o mercado de maneira geral refletindo um tom mais conservador em meio a um novo dia de rali global da divisa norte-americana com as atenções voltadas para os juros nos Estados Unidos.

A quinta-feira (25) poderá ver a liquidez cair no mercado devido ao fechamento dos mercados nos EUA, que celebram o Dia de Ação de Graças. Mas no Brasil o dia trará catalisadores como o IPCA-15 de novembro e contínuas discussões sobre a PEC dos Precatórios. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: