4 empresas dos EUA negociadas na B3 que são apostas de especialistas

Gestores de fundos que superaram expectativas de rentabilidade contam suas escolhas de empresas que têm BDRs.

Sergei Klebnikov
Compartilhe esta publicação:
Pgiam/Getty Images
Pgiam/Getty Images

Os principais índices de Nove York registraram máximas históricas ao longo de 2021

Acessibilidade


As empresas dos EUA negociadas em Wall Street tiveram mais um ótimo ano apesar dos temores sobre o aumento da inflação e das preocupações com a pandemia do coronavírus, que acabou desacelerando a recuperação econômica. O índice S&P 500, por exemplo, subiu 25% até o momento e segue batendo recordes.

As bolsas podem passar por um período mais desafiador em 2022, com a inflação dos EUA chegando ao maior patamar dos últimos 40 anos e o Federal Reserve, banco central norte-americano, reduzindo sua política de estímulos econômicos enquanto aumenta as taxas de juros.

Mesmo com muitos analistas de Wall Street prevendo um 2022 positivo, os investidores devem esperar retornos bem abaixo dos anos anteriores.

LEIA MAIS: Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Um levantamento feito pela empresa de pesquisas independentes Morningstar a pedido da reportagem mostrou quatro gestores de fundos que tiveram desempenhos excepcionais em 2021 – todos superaram seus benchmarks. Juntos, eles supervisionam quase US$ 25 bilhões (R$ 143,5 bilhões) em ativos. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em entrevista à Forbes, os especialistas falaram sobre ações de companhias nas quais apostam para 2022. É importante lembrar que, antes de fazer qualquer aporte, é preciso pesquisar a empresa e avaliar como ela se encaixa na estratégia do investidor – assim como os riscos envolvidos.

Todos os papéis citados estão disponíveis na Bolsa brasileira na forma de BDRs (Brazilian Depositary Receipts). Confira:

 

John W. Rogers, Jr.

Fundo: Ariel
Foco: Pequenas e médias empresas. Segue a estratégia “value investing”, na qual as ações são escolhidas com base no potencial de valorização no longo prazo, e não em seu preço de mercado.
Rentabilidade de 2021: 25,7%
Rentabilidade anual média de dez anos: 15%

Aposta: ViacomCBS (BDR: C1BS34)

Rogers aposta na gigante de mídia e entretenimento ViacomCBS, que está entre os investimentos mais baratos do Ariel Fund hoje. Embora as ações tenham “andado sem rumo há um bom tempo” e caído mais de 20% em 2021, ele vê um grande valor na empresa no próximo ano.

A ViacomCBS tem um “conjunto mais amplo de conteúdo, que muitos de seus concorrentes simplesmente não têm”, diz ele, incluindo serviços como o streaming Paramount +, estações afiliadas à CBS, o canal Showtime e o Pluto TV.

A empresa tem feito grandes investimentos em streaming, e Rogers vê com bons olhos especialmente a Paramount+. Ele tem acompanhado de perto o crescimento dos assinantes da plataforma.

Embora a ação tenha atingido o pico de quase US$ 100 no início deste ano, ela caiu durante a segunda metade de 2021, período que o fundo Ariel usou para aumentar sua posição.

 

Amy Zhang

Fundo: Alger Mid-Cap Focus Fund
Foco: Portfólio inclui cerca de 50 companhias de médio porte.
Rentabilidade de 2021: 6%
Rentabilidade anual média desde sua criação (2019): 31,4%

Aposta: Signature Bank (BDR: SBNY34)

Zhang cita o banco comercial Signature, com sede em Nova York, justificando que ele deve se beneficiar “não apenas de um impulso de recuperação cíclica, mas também da exposição aos primeiros momentos de uma criptoeconomia mais secular”. O banco, que constrói “relacionamentos de primeira linha” com clientes usando um “ponto único de contato” e abordagem centrada no cliente, tem visto um crescimento massivo de depósitos nos últimos anos.

O cenário favorável para os bancos no próximo ano, gerado pelo aumento das taxas de juros, deve impulsionar os lucros, prevê Zhang. Mesmo com as ações subindo quase 120% em 2021, as avaliações ainda permanecem atraentes, com o Signature Bank sendo negociado com um desconto e crescendo mais rápido do que muitos de seus pares.

Embora o negócio principal do banco permaneça sólido, outro “motor de crescimento empolgante” segundo ela é a plataforma de pagamentos digitais Signet, uma exchange em tempo real que aplica tecnologia blockchain e dá aos clientes exposição a criptomoedas.

“Achamos que há ainda mais vantagens à frente no próximo ano. Ainda é um caso pouco conhecido e o crescimento futuro ainda não foi totalmente avaliado”, diz Zhang.

 

Kirsty Gibson

Fundo: Baillie Gifford U.S. Equity Growth Fund
Foco: Empresas com potencial elevado de crescimento.
Rentabilidade de 2021: -4%
Rentabilidade anual média dos últimos três anos: 50,4%

Aposta: Snap (BDR: S1NA34)

A Snap, dona da rede social Snapchat, está entre os investimentos mais recentes do fundo. Embora a maior parte da receita venha de publicidade, a plataforma está lentamente se transformando em uma empresa de realidade aumentada, o que pode levar a um “modelo de negócios muito mais lucrativo” nos próximos cinco a dez anos, prevê Gibson.

A gestora está particularmente animada com o Camera Kit, um conjunto de ferramentas de realidade aumentada que qualquer desenvolvedor pode usar em seus próprios aplicativos. Isso potencialmente abre uma “nova fonte de receita” para a Snap, pois eles poderiam ajudar a alimentar a infraestrutura de realidade aumentada para aplicativos fora de seu ecossistema tradicional, diz Gibson.

Apesar de as ações terem caído quase 10% em 2021, “muitas das dificuldades recentes da companhia foram problemas de curto prazo, não obstáculos fundamentais para os negócios”, aponta Gibson. O crescimento do número de usuários e a inovação de novos produtos estão na “trajetória certa”, segundo ela. “É uma questão de resistir a fatores externos no curto prazo.”

 

Nancy Zevenbergen

Fundo: Zevenbergen Growth Fund
Foco: Grandes empresas voltadas para o mercado consumidor e de tecnologia.
Rentabilidade de 2021: -12,5%
Rentabilidade anual média de cinco anos: 37,7%

Aposta: Snowflake (BDR: S2NW34)

Zevenbergen prevê que a empresa de armazenamento de dados na nuvem terá um crescimento de receita de mais de 50% no próximo ano. Ela comprou ações da Snowflake pela primeira vez quando a empresa abriu seu capital, em setembro de 2020, e desde então tem aproveitado os movimentos de correção para aumentar sua posição.

“Dados são o novo petróleo, em termos de ativos”, diz Zevenbergen. “A necessidade de a América corporativa – todos os setores – reunir, manter e gerenciar dados está sempre crescendo”.

Além disso, a Snowflake tem como diferencial um modelo baseado no consumo, em vez de software como serviço, que parece ser a tendência que a maioria das empresas passou a seguir, segundo ela.

Zevenbergen argumenta ainda que empresas em todos os lugares estão cada vez mais digitais, e, por isso, a Snowflake está bem posicionada para se beneficiar desse movimento, porque sua expertise é coletar e interpretar os dados. As ações da companhia subiram 19% em 2021.

A gestora aposta que a empresa continuará a assinar novos contratos e a construir relacionamentos com os clientes existentes, o que deve ajudar a Snowflake a entregar ganhos sólidos e crescimento de receita em 2022 e além.

Compartilhe esta publicação: