Dia calmo em Wall Street, propício às comemorações de um ano de recordes

Ações norte-americanas estão correndo em direção ao terceiro ano consecutivo de grandes ganhos para os investidores que apostaram no mercado.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Franckreporter_Guettyimages
Franckreporter_Guettyimages

Ações norte-americanas estão correndo em direção ao terceiro ano consecutivo de grandes ganhos

Acessibilidade


As ações futuras nos EUA começaram o último dia do ano registrando baixa, o que indica um final calma para um mercado que bateu recorde em cima de recorde em 2021, com taxas de juros baixas apreciadas em Wall Street e embalados pelas vacinas contra o coronavírus. A imunização em massa trouxe certo alívio aos investidores.

As ações norte-americanas estão correndo em direção ao terceiro ano consecutivo de grandes ganhos, com os principais índices próximos aos recordes no final de 2021.

LEIA TAMBÉM: 10 fatos que marcaram o desempenho do agro em 2021

Hoje (31), os futuros do S&P 500 caíram 0,1%, na mesma toada de ontem, quando o índice do mercado amplo terminou ligeiramente mais baixo. Mas, para o ano, o S&P 500 está caminhando para um avanço de 27% e atingiu 70 máximas. É o terceiro ano consecutivo de ganhos de dois dígitos para esse índice e o segundo em meio à pandemia de Covid-19.
Grande parte da recuperação mais ampla do mercado foi impulsionada por um pequeno grupo de ações massivas, como Apple, Tesla e Microsoft. As ações da Microsoft e da Tesla subiram mais de 50% neste ano, enquanto a Apple ganhou mais de 30%.

Para os contratos do Nasdaq-100 hoje (31), com foco em tecnologia, se mostraram estáveis ​​e os futuros para o Dow Jones idem. Às 11:30 (hora de Brasília), o índice Dow Jones subia a 0,04%, com 36411,22 pts; o Nasdaq-100 subia 0,13%, com 15761,67. No total para o ano, respectivamente, ganharam 19% e 22%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Na Europa, as ações caíram hoje, mas há uma forte alta acumulada no ano. O benchmark europeu encerrou o ano com uma alta de 22%, seu segundo melhor ano desde 2009, com todos os principais subsetores obtendo ganhos anuais. Os índices de bancos e de tecnologia foram os que mais subiram no ano, com alta de 34%, enquanto o de viagens, atingido pela pandemia, teve desempenho inferior, avançando 4%.

Os volumes baixos de hoje são o reflexo da ausência de muitos investidores. A maioria das bolsas europeias estão fechadas, como Alemanha, Espanha e Itália, com exceção de Londres e Paris que tiveram sessões mais curtas.

O índice pan-europeu STOXX 600 caiu 0,1%, com ações de varejo como perdas principais. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: