Ibovespa descola de Wall Street e fecha em queda

A principal notícia do dia foi o IPCA-15, que subiu 0,78% em dezembro.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou hoje (23) em queda de 0,33%, a 104.891 pontos, destoando dos ativos de risco globais. A principal notícia do dia foi o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15), que subiu 0,78% em dezembro, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A expectativa de economistas ouvidos pela Reuters era de alta de 0,80%.

A leitura do índice implica que a inflação “oficial” do Brasil deve encerrar 2021 no patamar mais elevado dos últimos seis anos, a 10,42%, alimentando os temores ligados às pressões de preços e a perspectiva de contínuo aperto da política monetária.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Levando em conta a projeção do mercado no último relatório Focus para o IPCA no ano em 10%, o resultado revela uma defasagem de expectativa e um ajuste para cima da curva de juros, o que ajuda explicar a queda do mercado”, diz Rafael Ribeiro, analista de investimentos da Clear Corretora.

Os destaques positivos da sessão incluíram os papéis da Marfrig (MRFG3), Embraer (EMBR3) e BRF (BRFS3), que registraram avanços de 3,80%%, 3,14%% e 2,43%%, respectivamente. Essa foi a última sessão no mercado doméstico antes do recesso do feriado de Natal.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em Wall Street, os índices encerraram o dia em alta. O Dow Jones subiu 0,55%, a 35.950 pontos; o S&P 500 avançou 0,62%, a 4.725 pontos; e o Nasdaq ganhou 0,85%, a 15.653 pontos.

O dia foi marcado pela divulgação de indicadores. O Departamento do Trabalho informou que o número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de seguro-desemprego manteve-se abaixo dos níveis pré-pandemia na semana passada, em 205 mil. Já o PCE, uma medida da inflação subjacente, registrou em novembro seu maior aumento anual desde 1982, com acumulado de 5,7%.

Por outro lado, os gastos do consumidor aumentaram – a alta foi de 0,6% no mês passado -, o que encaminha a economia norte-americana para um sólido fim de ano. “Embora os consumidores digam que estão preocupados com a inflação, a perspectiva para o crescimento dos gastos das famílias em 2022 é forte”, diz Gus Faucher, economista-chefe da PNC Financial em Pittsburgh, Pensilvânia.

O dólar fechou em queda de 0,08%, negociado a R$ 5,6618 na venda. A moeda foi contida por duas operações extraordinárias do Banco Central, realizadas após a cotação superar R$ 5,70. O BC tem recorrido a esse instrumento em dezembro, período típico de redução de liquidez devido ao menor fluxo de negociações e também às remessas de lucros e dividendos. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: