Mercado Pago vai habilitar operações com criptomoedas no Brasil

Em parceria com a plataforma de custódia e de blockchain Paxos, usuários do Mercado pago poderão negociar com bitcoin.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Agustin Marcarian/Reuters
Agustin Marcarian/Reuters

Em parceria com a plataforma de custódia e de blockchain Paxos, usuários do Mercado pago poderão negociar com bitcoin

Acessibilidade


O braço financeiro do Mercado Livre, Mercado Pago, anunciou nesta quinta-feira (02) o lançamento da funcionalidade de compra e venda de criptomoedas por meio de seu aplicativo, em um momento em que moedas digitais ganham rápida popularidade no Brasil.

Em parceria com a plataforma de custódia e de blockchain Paxos, usuários do Mercado pago poderão negociar com bitcoin, o mais conhecido dentre os criptoativos, além do ethereum e da stablecoin USDP, com operações a partir de 1 real, informou a companhia. Operações com outras moedas digitais devem ser incluídas mais adiante, mas ainda não há data prevista.

O anúncio reforça o avanço do maior portal de comércio eletrônico da América Latina em direção aos ativos digitais, após ter anunciado em maio que comprou 7,8 milhões de dólares em bitcoin, “como parte da estratégia de tesouraria”.

Segundo o vice-presidente do Mercado Pago no Brasil, Tulio Oliveira, a expectativa é de que os cerca de 20 milhões de usuários da empresa possam comprar moedas virtuais pelo aplicativo nas próximas semanas. As transações terão um custo de 2% nas conversões.

O anúncio desta quarta-feira (01) já havia sido antecipado em parte pelo próprio presidente-executivo do Mercado Livre, Marcos Galperin, que afirmou na semana passada no Twitter que a empresa lançaria modalidade de compra e venda de criptomoedas no Brasil.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

De imediato, o saldo de criptomoedas no Mercado Pago não poderá ser usado para pagamento de compras no Mercado Livre, mas o presidente de Fintech no grupo, Osvaldo Gimenez, adiantou que essa opção poderá ser disponibilizada no futuro.

Compartilhe esta publicação: