Suspensão de voos da ITA derruba ações do setor de turismo

A empresa interrompeu os serviços na sexta-feira (17) por "necessidade de ajustes operacionais".

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:
Imagem/Divulgação
Imagem/Divulgação

O Procon-SP notificou a companhia e pediu explicações em até 24 horas

Acessibilidade


A ITA, companhia aérea do Grupo Itapemirim, suspendeu suas atividades aéreas na noite da última sexta-feira (17), causando grande transtorno para clientes com voos marcados para as férias de fim de ano. Hoje, os papéis das principais empresas ligadas ao setor, como Azul (AZUL3), Gol (GOLL4) e CVC (CVCB3) sofrem forte queda.

Por volta das 14h15, as ações da Azul caiam 4,52% a R$ 24,28, da Gol 3,53% a R$ 17,54 e da CVC 6,78% a 14,16.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Em comunicado, a ITA informou que “a decisão foi tomada por necessidade de ajustes operacionais” e que irá reacomodar os passageiros que se encontrem fora de seus domicílios. Clientes que compraram passagens mas ainda não tenham embarcado receberão reembolso integral, segundo a companhia.

A interrupção inesperada dos serviços, após seis meses de operação, levou o Procon-SP a notificar formalmente a empresa nesta segunda-feira pedindo explicações em até 24 horas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Não se trata de cancelamento de voo por motivo de força maior, como, por exemplo, em decorrência das condições climáticas. Neste caso, é intrigante que uma empresa que acabou de ser aberta feche suas portas e prejudique tantos passageiros. Precisamos entender por qual motivo foi autorizado o funcionamento e, em seguida, a companhia suspende as operações sem dar nenhuma satisfação aos seus clientes”, afirma Fernando Capez, diretor executivo do Procon-SP.

De acordo com o órgão, a empresa poderá ser multada em até R$ 11 milhões, como prevê o Código de Defesa do Consumidor, e também ser obrigada a reparar o dano material e moral causado aos clientes.

Compartilhe esta publicação: