Tesla perde US$ 250 bilhões em valor de mercado após reportagem sobre inquérito da SEC

Ações da fabricante de carros elétricas acumulam queda de mais de 20% desde o pico do início do mês.

Jonathan Ponciano
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

As ações da Tesla já acumularam grandes perdas desde que Elon Musk sugeriu no mês passado que venderia cerca de 10% de sua participação

Acessibilidade


As ações da Tesla despencaram na manhã de hoje (6) após a agência Reuters noticiar que a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês) investiga alegações de que a fabricante de veículos elétricos não informou adequadamente os riscos de segurança associados a seus painéis solares.

As ações da Tesla caíram 5% após a Reuters relatar que a SEC abriu uma investigação com base em uma denúncia anônima feita por um ex-gerente de qualidade em 2019. O ex-funcionário alega que a Tesla e a SolarCity, que foi adquirida pela fabricante de carros em 2016, não informaram “riscos de danos à propriedade, riscos de danos a usuários e riscos de incêndio” antes da aquisição.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Segundo a denúncia, a Tesla também falhou ao não comunicar aos clientes que conectores elétricos defeituosos poderiam causar incêndios.

Em uma carta enviada ao denunciante no final de setembro, a SEC confirmou que ainda investiga as alegações, relatou a Reuters.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A queda de hoje (6) empurrou as ações da Tesla para uma perda de mais de 20% frente à alta recorde registrada no dia 4 de novembro, de US$ 1.229,00. A empresa perdeu mais de US$ 250 bilhões em valor de mercado no mesmo período.

Representantes da Tesla e da Comissão de Valores Mobiliários não responderam a perguntas enviadas pela Forbes.

As ações da Tesla já acumularam grandes perdas desde que Elon Musk, a pessoa mais rica do mundo, sugeriu no mês passado que venderia cerca de 10% de sua participação. As declarações do fundador preocuparam investidores, uma vez que o movimento poderia desvalorizar as ações.

Desde então, Musk vendeu cerca de US$ 11 bilhões em ações, o que corresponde a cerca de 5% de sua participação.

Embora ele tenha descrito a aquisição da SolarCity em 2016 como “transformadora”, um grupo de acionistas desaprovou a decisão e processou o bilionário, alegando que a compra foi um resgate de uma empresa em dificuldades financeiras fundada pelos primos de Musk. Em outubro, um juiz indeferiu as ações diretas contra o fundador da Tesla, mas deu aos acionistas a oportunidade de processá-lo no futuro.

Hoje (6), o valor de mercado da Tesla é de US$ 977 bilhões, abaixo do recorde de US$ 1,2 trilhão registrado no início de novembro. Apesar da queda, as ações ainda estão em alta de 33% em comparação com o ano passado, enquanto o índice S&P 500 cresceu quase 24% no período.

Embora Elon Musk tenha sido a primeira pessoa do mundo a atingir um patrimônio de US$ 300 bilhões, no mês passado, agora sua fortuna é de US$ 259 bilhões – só nesta segunda-feira, a queda foi de quase US$ 7 bilhões. Em comparação, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, a segunda pessoa mais rica do mundo, possui uma fortuna de cerca de US$ 197 bilhões.

Compartilhe esta publicação: