Brasil tem déficit de US$28,1 bi em transações correntes em 2021

De acordo com os dados, os investimentos diretos no país (IDP) somaram US$ 46,441 bilhões.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Gary Cameron/Reuters
Gary Cameron/Reuters

Cédulas de dólar em centro de impressão em Washington

Acessibilidade


O Brasil registrou déficit de US$ 28,110 bilhões nas transações correntes em 2021, de acordo com os dados divulgados pelo Banco Central hoje (26), o que representa uma piora em relação ao ano anterior, quando o saldo ficou negativo em US$ 24,492 bilhões.

O resultado do rombo acumulado em 12 meses, ligeiramente acima do que o déficit de US$ 30 bilhões projetado em dezembro pelo BC, equivale a 1,75% do Produto Interno Bruto (PIB), ante 1,69% em 2020.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

De acordo com os dados, os investimentos diretos no país (IDP) somaram US$ 46,441 bilhões, o segundo pior saldo em 12 anos, melhor apenas do que o observado 2020 (US$ 37,786 bilhões).

O dado sofreu impacto de um IDP negativo em dezembro, o pior para todos os meses da série iniciada em 1995. Houve uma saída de US$ 3,935 bilhões no mês, ante expectativa no mercado de uma entrada de US$ 3,1 bilhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Entre os destaques do ano, os gastos de brasileiros em viagens ao exterior ficaram no menor patamar em 16 anos, totalizando US$ 5,250 bilhões. O dado é mais baixo, inclusive, do que o de 2020 (US$ 5,394 bilhões), ano marcado por fortes restrições na circulação de pessoas entre países por conta da pandemia de Covid-19.

Nas transações correntes, o resultado de 2021 foi puxado pelo déficit de US$ 50,471 bilhões na conta primária, ante dado negativo de US$ 38,264 bilhões no ano anterior. Houve déficit de US$ 17,114 bilhões na conta de serviço e superávit de US$ 36,181 bilhões na balança comercial.

Dezembro

Em dezembro de 2021, houve déficit de US$ 5,891 bilhões nas transações correntes. O resultado veio melhor que o déficit de US$ 6,5 bilhões esperado por analistas em pesquisa da Reuters.

No mês, o superávit da balança comercial foi de US$ 2,672 bilhões, superior ao déficit de US$ 1,939 bilhão do mesmo mês do ano passado.

Além disso, o déficit na conta de renda primária ficou em US$ 6,913 bilhões, enquanto o rombo na conta de serviços totalizou US$ 1,928 bilhão.

Para o mês de janeiro, o BC projetou um déficit em transações correntes de US$ 8,4 bilhões e IDP de US$ 3,2 bilhões.

Até o dia 21 deste mês, o fluxo cambial ficou negativo em US$ 1,179 bilhão, disse ainda o BC.

Compartilhe esta publicação: