Ibovespa hoje: Bolsa abre em queda com Wall Street à espera de reunião do Fed

Apesar da queda de ontem e do início negativo de hoje, o Ibovespa continua entregando um resultado positivo no mês de janeiro.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em queda de 0,43% na abertura do pregão de hoje (25), a 107.502 pontos, às 10h16, horário de Brasília. O índice acompanha os mercados internacionais, em dia de tensão por conta do início da reunião de política monetária do Federal Reserve, banco central norte-americano.

Na ocasião, o Fed poderá dar sinais sobre o que pretende fazer com seu balanço patrimonial, e deverá confirmar planos de elevar a taxa de juros em março. Participantes do mercado passaram a estimar de cinco a seis possíveis aumentos neste ano, ante expectativa anterior de apenas três.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“No Brasil, o mercado deve seguir refém da piora de sentimento global na falta de um noticiário local relevante”, disse em nota Victor Beyruti Guglielmi, da Guide Investimentos.

Apesar da queda de ontem e do início negativo de hoje, o Ibovespa continua entregando um resultado positivo no mês de janeiro, e segue para um desfecho otimista, podendo começar o ano de 2022 com o pé direito.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O dólar sobe 0,21%, sendo negociado a R$ 5,5140 na venda. Altas de juros nos Estados Unidos costumam minar ativos emergentes, como o real, embora analistas digam que muito já foi precificado na taxa de câmbio.

Os mercados internacionais seguem tensos sobre os riscos envolvendo os desacordos entre Rússia, Ucrânia, Europa e EUA, depois de Washington colocar 8.500 soldados em alerta para viajar à Europa em caso de uma escalada na crise na Ucrânia. Moscou disse hoje estar observando as movimentações com grande preocupação.

Na Ásia, as bolsas chinesas fecharam em uma mínima em 15 meses, arrastadas por preocupações com a política monetária do Fed e por incertezas nos mercados antes do feriado do Ano Novo chinês.

Como aumento do número de infecções pela variante Ômicron na região, os investidores seguem avaliando os impactos das medidas de restrição à Covid-19 frente a eventos como as Olimpíadas de Inverno.

O Hang Seng, de Hong Kong, caiu 1,67%; e o BSE Sensex, de Mumbai, fechou o dia em alta de 0,64%. Já na China continental, o índice Shanghai caiu 2,58%; e no Japão, o índice Nikkei perdeu 1,66%.

Na Europa, os principais índices registram alta. As ações europeias estabilizaram nesta manhã após sua pior queda desde junho de 2020, acompanhando a recuperação de Wall Street do fim da tarde de ontem, enquanto balanços financeiros positivos oferecem algum ânimo.

A fabricante suíça de periféricos de computador Logitech International salta 7,98% depois de aumentar sua previsão de lucros para o atual ano fiscal. Já a sueca Ericsson ganha 8,12%, após divulgar resultados de seu principal negócio acima das estimativas do mercado.

Por volta das 10h16, o Stoxx 600 ganhava 0,75%%; na Alemanha, o DAX subia 0,66%%; o CAC 40 em alta de 0,97%% na França; na Itália, o FTSE MIB ganhava 0,33%%; enquanto o FTSE 100 tinha valorização de 0,98%% no Reino Unido.

No cenário das commodities, os preços do petróleo recuam frente às tensões na Ucrânia, uma vez que a Rússia é uma das principais produtoras e fornecedoras da matéria prima no mundo.

Em um dia marcado por investidores buscando mais segurança, o barril do petróleo WTI com entrega prevista para março recuou 2,15%, enquanto o Brent, para o mesmo mês, teve queda de 1,84%.

Já o minério de ferro, depois de quedas expressivas ontem, hoje amanheceu com uma leve alta de 0,27%, trazendo um possível cenário de alívio para as empresas da Bolsa ligadas à commodity. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: