IGP-M acelera alta a 1,82% em janeiro com pressão da inflação ao produtor

Um dos itens com maior peso no resultado foi o minério, que fechou o mês com alta de 18,26% em meio à escalada do preço internacional.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Sergey Zavalnyuk/Getty Images
Sergey Zavalnyuk/Getty Images

O minério de ferro teve grande papel na alta de 1,82% do IGP-M

Acessibilidade


O IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado) subiu 1,82% em janeiro, dando início a 2022 com aceleração da alta ante taxa de 0,87% em dezembro, mostraram dados divulgados hoje (28) pela Fundação Getulio Vargas.

O resultado ficou pouco abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 2,00%, e leva o índice a acumular nos 12 meses até janeiro alta de 16,91%.

VEJA TAMBÉM: Preço da gasolina cai e IPCA-15 desacelera em janeiro, mas alimentos sobem

A FGV informou que o IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, teve avanço de 2,30% no mês, depois de subir 0,95% em dezembro.

“A inflação ao produtor segue espalhada. Os preços dos bens de investimento subiram 2,07%, ante 0,78%, em dezembro de 2021. Já os preços de materiais e componentes para manufatura avançaram para 1,33%, depois de subirem 0,40% no mês passado”, explicou o coordenador dos índices de preços, André Braz.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ele destacou ainda que o minério fechou janeiro com alta de 18,26% em meio à escalada do preço internacional, respondendo por 52% do resultado do IPA.

Para o consumidor, a pressão em janeiro foi menor, já que o IPC (Índice de Preços ao Consumidor), que tem peso de 30% no índice geral, desacelerou a alta a 0,42%, de 0,84% em dezembro.

A principal contribuição para esse resultado foi dada pela queda de 0,17% nos preços do grupo Transportes, após alta de 1,26% em dezembro, com destaque para o recuo de 1,62% da gasolina.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Por sua vez, o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) teve avanço de 0,64% no período, depois de subir 0,30% no mês anterior.

O IGP-M calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

Compartilhe esta publicação: