Previsões de criptomoedas e blockchain para 2022

Estimativas mostram que o bitcoin pode chegar à marca de US$ 100 mil neste ano.

Sean Stein Smith
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O ano de 2021 foi indiscutivelmente aquele em que blockchain e os criptoativos passaram de um assunto de segundo plano para o foco das conversas nos principais mercados financeiros. Mesmo levando em consideração o rápido aumento na capitalização de mercado do bitcoin e de outras criptomoedas, há ainda dúvidas pertinentes em torno do futuro desse setor.

Prever o futuro é sempre um negócio arriscado, especialmente quando se tenta projetar um espaço que está se movendo tão rápido quanto o blockchain e as criptomoedas. Como esta é a época do ano para lista e previsões, vamos dar uma olhada em algumas das coisas que podem acontecer em 2022.

Os NFTs se tornarão monótonos

Isso pode parecer um pouco difícil para alguns leitores, especialmente porque há muito que não é compreendido pelo mercado mainstream sobre como os tokens não fungíveis (NFTs) operam e são avaliados. O que muitas vezes é esquecido nas conversas atuais sobre NFTs, e um resultado direto dos preços disparados, é o verdadeiro valor e caso de uso deles.

NFTs, na forma mais verdadeira, representam uma prova digital de propriedade que é protegida por um blockchain. Cada vez mais informações e dados – tanto no nível individual quanto institucional – são armazenados em um formato virtual, fazendo sentido que a proteção desses registros se torne uma prioridade no futuro.

Não é tão empolgante quanto observar os preços dos NFTs oscilarem, mas a propriedade habilitada para blockchain parece ser o futuro do NFTs.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Stablecoins será a moda. Stablecoins, quer sejam apreciados ou não por todos os membros da comunidade criptográfica, parecem ser a maneira mais viável pela qual a adoção de criptomoedas por não especialistas e pelo mercado de massa começará.

De acordo com o relatório do President’s Working Group, a utilização de stablecoins aumentou 500% entre outubro de 2020 e outubro de 2021, e não parece provável que esse ritmo de adoção diminua. A principal vantagem das stablecoins é – sem surpresa – a estabilidade que muitos desses criptoativos oferecem, permitindo que a criptografia seja usada como um meio transacional em vez de um investimento especulativo.

À medida que o calendário muda para 2022 e a geopolítica continua a influenciar e direcionar parcialmente a conversa sobre cripto, o surgimento de stablecoins é uma tendência que não pode ser ignorada. Em vez disso, e levando ao próximo ponto da conversa, é que stablecoins e outros criptoativos conectados a ativos externos parecem representar o próximo passo da adoção de cripto.

Os pagamentos em criptomoedas vieram para ficar. Com a adoção por grandes organizações como PayPal, Visa e Mastercard durante 2021, a tendência de uso de criptomoedas para fins transacionais parece ser permanente. A tecnologia que sustenta os aspectos e aplicações existentes no mercado – de finanças descentralizadas (DeFi) a NFTs, já provou que funciona continuamente.

A tecnologia funciona e suas aplicações estão apenas começando a ser reconhecidas pelo mercado convencional e não especializado. Os stablecoins, se operados conforme anunciado, oferecem uma maneira compreensível e razoavelmente estável para indivíduos e instituições entrarem no setor. Stablecoins pode não ser a opcão favorita de criptomoeda por alguns membros da comunidade bitcoin, mas terá um papel vital no futuro.

Bitcon a US$ 100 mil

Bitcoin chegará a US$ 100 mil. Esta pode parecer uma estimativa relativamente conservadora para o preço do bitcoin em alguns círculos, mas vale a pena notar que durante 2021 o preço do bitcoin exibiu parte de sua volatilidade histórica, variando de mínimos em torno de US$ 30 mil a máximas históricos de quase US$ 70 mil. Deixando de lado a volatilidade do mercado e procurando permanecer o mais objetivo possível, o caso do bitcoin de US$ 100 mil parece ter pontos de apoio.

O aumento da inflação, a contínua flexibilização monetária em todo o mundo e a proliferação de criptoativos apontam para a seguinte conclusão; As criptomoedas estão aqui para ficar. A forma ou o resultado final que elas assumem permanece incerto neste ponto, mas a integração já ocorreu. Dito isso, entender o interesse e o apetite por ativos orientados para o crescimento parece apontar para um caminho ascendente para o avanço do bitcoin e criptoativos em geral.

Se 2021 foi o ano em que blockchain e as criptos se tornaram o principal tópico de conversa e análise, o ano que vem parece bem posicionado para ser o ano em que os regulamentos e regras alcançam a realidade do mercado.

Ainda é muito cedo para prever como o setor de blockchain e criptoativos irá evoluir, mas a tendência é clara: essas tecnologias se tornaram populares. Não importa quais mudanças de preço aconteçam para moedas ou tokens específicos, é claro que a compreensão e aceitação de criptoativos deve acelerar. Indivíduos, investidores e proprietários de empresas fariam bem em ficar de olho neste espaço conforme o calendário avança para 2022.

Compartilhe esta publicação: