Alta de juros precipitada pelo BCE não resolverá problema da inflação, diz Lagarde

Lagarde mexeu com os mercados de títulos na semana passada ao abrir a porta para a primeira alta de juros pelo BCE.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Michael Probst/Reuters
Michael Probst/Reuters

Christine Lagarde, presidente do BCE

Acessibilidade


Aumentar a principal taxa de juros do Banco Central Europeu agora não reduziria a inflação recorde da zona do euro e só prejudicaria a economia, afirmou a presidente do BCE, Christine Lagarde, em entrevista publicada hoje.

Lagarde mexeu com os mercados de títulos na semana passada ao abrir a porta para a primeira alta de juros pelo BCE em mais de um década diante da pressão dos preços elevados.

Com os mercados monetários agora precificando um aumento de 50 pontos básicos na taxa de depósito do BCE até dezembro, Lagarde alertou que uma alta não vai tratar dos preços elevados do petróleo e de questões de oferta que têm impulsionado a inflação.

“Isso não resolveria nenhum dos problemas atuais”, disse ela à rede de mídia alemã Redaktionsnetzwerk Deutschland (RND). “Pelo contrário: se agirmos muito precipitadamente agora, a recuperação de nossas economias pode ser consideravelmente mais fraca e os empregos serão prejudicados.”

Ela insistiu que o BCE só irá retirar sua política de forte estímulo, com juros negativos, gradualmente e quando as condições permitirem.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Agora podemos ajustar –calmamente, passo a passo — nossos instrumentos de política monetária”, disse ela. “E quando os dados econômicos permitirem, faremos isso.”

A inflação anual na zona do euro atingiu 5,1% no mês passado, e a Comissão Europeia disse ontem que projeta a alta dos preços em uma média de 3,5% este ano, bem acima da meta do BCE de 2%.

Compartilhe esta publicação: