Banco BMG, Vamos, Taesa e mais cinco empresas divulgam balanços do 4º trimestre; veja os destaques do Radar

Últimas notícias sobre: JBS, Neoenergia, SLC Agrícola, 3R Petroleum, Eneva, Energisa, Cielo. .

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (18), o Banco BMG, Vamos, Taesa, Rumo, Aeris, 3Tentos e Br Properties divulgaram seus balanços do 4º trimestre de 2021.

O conselho de administração da Eneva aprovou a 7ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações no valor de R$ 1,5 bilhão.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Confira os destaques:

Banco BMG (BMGB4)

O Banco BMG registrou lucro líquido recorrente de R$ 48 milhões no 4º trimestre de 2021, montante 49,8% menor do que o registrado em 2020. O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE, na sigla em inglês) atingiu 5% nos últimos três meses do ano.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Vamos (VAMO3)

A Vamos reportou lucro líquido de R$ 117,7 milhões no 4º trimestre de 2021, alta de 116,8% frente ao mesmo período de 2020.

De acordo com o documento enviado ao mercado, em 2021, o lucro líquido foi de R$ 402,4 milhões ante R$ 179,2 milhões de 2020, aumento de 124,6%.

Taesa (TAEE11)

A Taesa fechou o 4º trimestre de 2021 com lucro líquido consolidado de R$ 423,1 milhões, recuou de 43,6% na comparação anual. Nos 12 meses, a elétrica lucrou R$ 2,213 bilhões.

Rumo (RAIL3)

A Rumo apresentou prejuízo líquido de R$ 384 milhões no 4º trimestre, revertendo o lucro de R$ 3 milhões do mesmo período de 2020.

BR Properties (BRPR3)

A BR Properties também registrou prejuízo líquido de R$ 47,4 milhões nos últimos três meses do ano, revertendo o lucro do ano anterior.

3Tentos (TTEN3)

A 3Tentos divulgou lucro líquido de R$ 167 milhões nos últimos três meses de 2021. O resultado representa alta de 49,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Aeris (AERI3)

A Aeris obteve lucro líquido de R$ 18,1 milhões no 4º trimestre, valor 15,9% superior ao registrado no último trimestre de 2020.

Eneva (ENEV3)

O conselho de administração da Eneva aprovou a 7ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações no valor de R$ 1,5 bilhão.

JBS (JBSS3)

A JBS anunciou que retirou proposta anunciada anteriormente de adquirir todas as ações ordinárias em circulação da Pilgrim’s Pride, empresa de alimentos norte-americana, que não fossem de propriedade da JBS ou de suas subsidiárias.

Segundo fato relevante, a companhia retirou sua oferta após não conseguir chegar a um acordo com o comitê especial do conselho de administração da Pilgrim’s sobre os termos da transação proposta.

Neoenergia (NEOE3)

A Neoenergia, controlada pela espanhola Iberdrola, fechou o 4º trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 635 milhões, uma queda de 36% em relação ao registrado no mesmo intervalo do ano anterior.

Já o Ebitda, lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, atingiu R$ 2,41 bilhões entre outubro e dezembro do ano passado, alta de 15% no comparativo anual.

Com isso, a companhia elétrica somou um lucro de R$ 3,925 bilhões nos 12 meses, 40% superior ao de 2020.

SLC Agrícola (SLCE3)

A SLC Agrícola informou ao mercado na noite de ontem que firmou um contrato de prestação de serviços com a Kothe Logística, visando a ampliação da capacidade de beneficiamento e armazenagem de sementes de soja.

O acordo tem validade de 15 anos e custou R$ 1,4 milhão para a contratante.

3R Petroleum (RRRP3)

A 3R Petroleum confirmou ao mercado a devolução da participação de 30% detida no bloco POT-M-475, localizado na Bacia Potiguar.

Energisa (ENGI11)

A Energisa informou ao mercado que celebrou contrato para aquisição de 2.330.105.717 das ações de emissão da Gemini Energy, pelo valor de R$ 0,353037 por ação.

No preço, a empresa ainda considerou o endividamento líquido de R$ 1,7 bilhão detido pela Gemini.

Cielo (CIEL3)

A Cielo informou hoje que sua subsidiária Cielo USA celebrou contrato para a alienação de suas ações da Merchant E-Solutions Inc. pelo valor de US$ 290 milhões. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: