Bolsa de Valores hoje: Ibovespa abre em alta, descolado dos mercados internacionais

O Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira, mostrou que a estimativa para a Selic agora é de 12,25% no fim de 2022.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em alta de 0,33% na abertura do pregão de hoje (14), a 113.951 pontos, às 10h28, horário de Brasília. Nos mercados internacionais, o dia é marcado pelas tensões na fronteira da Ucrânia, enquanto, no mercado local, investidores digerem as novas previsões de analistas para a economia brasileira.

O Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira, mostrou que a estimativa para a Selic agora é de 12,25% no fim de 2022, contra 11,75% previstos na semana anterior. Já a expectativa para o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) este ano aumentou em 0,06 ponto percentual, indo a 5,5%.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A inflação ao consumidor no Brasil iniciou 2022 em desaceleração. A taxa, porém, foi a maior para o mês de janeiro em seis anos, de 0,54%, indo a 10,38% no acumulado em 12 meses.

No cenário internacional, o governo dos Estados Unidos afirmou que a Rússia pode invadir a Ucrânia a qualquer momento. A Rússia tem atualmente mais de 100 mil soldados concentrados perto da Ucrânia.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Apesar disso, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, sugeriu hoje ao presidente russo, Vladimir Putin, que Moscou mantenha aberto o caminho diplomático com o Ocidente.

O dólar opera em queda de 0,65% e é negociado a R$ 5,2080 na venda.

Na Ásia, as ações chinesas fecharam em baixa, depois de o banco central chinês afirmar que não usará o setor imobiliário como um método de curto prazo para estimular a economia, a fim de evitar riscos financeiros sistêmicos. A notícia provocou queda de 3,8% nas incorporadoras.

Na região, o mercado acionário japonês liderou as quedas, reagindo às tensões na fronteira da Ucrânia. Investidores temem que uma invasão russa no país provoque um aumento nos preços globais das commodities, gerando consequências negativas para a economia japonesa.

O Hang Seng, de Hong Kong, caiu 1,41%; o BSE Sensex, de Mumbai, recuou 3%; no Japão, o índice Nikkei perdeu 2,23%; já o Shangai, na China continental, caiu 0,98%.

Na Europa, os principais índices operam no vermelho, com balanços financeiros no radar. A empresa de produtos químicos Clariant cedeu mais de 17% nesta manhã após adiar a divulgação dos seus resultados em meio a uma investigação sobre práticas de contabilidade possivelmente fraudulentas. Hoje, Capgemini, Michelin e BHP divulgam seus resultados.

As ações da empresa de mineração Evraz, com foco em operações na Rússia, caíram mais de 30%. O movimento de venda foi impulsionado por investidores que buscam se proteger dos impactos econômicos das tensões na Ucrânia.

Por volta das 10:28h, o Stoxx 600 perdia 1,70%; na Alemanha, o DAX recuava 1,94%; na França, o CAC 40 cedia de 2,12%; na Itália, o FTSE MIB caía 1,98%; enquanto, no Reino Unido, o FTSE 100 perdia 1,28%.

No cenário das commodities, os contratos futuros do minério de ferro da China registraram queda. Alertas de reguladores contra recentes movimentos incomuns nos preços da commodity, que levaram o minério de ferro ao seu maior nível em cinco meses na semana passada, preocupam os traders. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: