Confiança do consumidor no Brasil tem recuperação a máxima em 6 meses em fevereiro, diz FGV

A confiança dos consumidores no Brasil teve recuperação a uma máxima em seis meses em fevereiro, de acordo com dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Confiança do consumidor no Brasil tem recuperação máxima em fevereiro

Acessibilidade


A confiança dos consumidores no Brasil teve recuperação a uma máxima em seis meses em fevereiro, de acordo com dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas hoje, embora seu patamar ainda baixo em termos históricos continue impondo cautela.

Em fevereiro, o ICC (Índice de Confiança do Consumidor) da FGV subiu 2,9 pontos, a 77,0 pontos, maior nível desde agosto de 2021 (81,8).

O resultado refletiu melhora tanto na avaliação sobre o momento presente quanto nas expectativas para os próximos meses. O ISA (Índice de Situação Atual) avançou 1,5 ponto, para 67,6 pontos, enquanto o IE (Índice de Expectativas) ganhou 3,8 pontos, a 84,5 pontos, máxima desde agosto de 2021 (90,9).

“O destaque foi o aumento da intenção de compras de bens duráveis, em queda há cinco meses consecutivos”, disse a coordenadora das sondagens, Viviane Seda Bittencourt, em nota. Esse indicador avançou 8,8 pontos, para 69,1 pontos, maior patamar também desde agosto de 2021 (69,7).

“O resultado positivo pode ter sido influenciado pelo Auxílio Brasil nas faixas de renda mais baixas, perspectivas mais favoráveis sobre o mercado de trabalho e situação econômica”, afirmou Bittencourt.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Mas é preciso ter cautela, o nível (do ICC) ainda é muito baixo em termos históricos e o comportamento volátil dos consumidores nos últimos meses mostra que a incerteza elevada tem afetado bastante a manutenção de uma tendência mais clara da confiança no curto prazo”, alertou a especialista.

Compartilhe esta publicação: