Governo central tem superávit primário recorde de R$ 76,5 bilhões em janeiro

Foi o maior saldo já apurado em um mês na série do governo, que teve início em 1997.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Bruno Domingos/Reuters
Bruno Domingos/Reuters

O resultado registrado pelo governo central superou as expectativas do mercado

Acessibilidade


O governo central registrou em janeiro superávit primário de R$76,5 bilhões, maior saldo já apurado em um mês na série do governo, com início em 1997, mostraram números divulgados pelo Tesouro Nacional hoje (24).

O resultado superou as expectativas do mercado, que apontavam para um superávit de R$60,35 bilhões no mês, segundo pesquisa Reuters. Também veio bem acima do superávit de R$43,5 bilhões de janeiro do ano passado.

As receitas líquidas do governo central, que compreende as contas do Tesouro, do Banco Central e da Previdência Social, somaram R$203,1 bilhões em janeiro, uma alta real de 18,2% sobre o ano passado. Já as despesas aumentaram 2,2% no mesmo período, para R$126,6 bilhões.

Como mostrou a Receita Federal ontem (23), a arrecadação em janeiro foi recorde para o mês, impulsionada por receita atípicas de impostos cobrados das empresas (IRPJ e CSLL) e pelo aumento de arrecadação dos setores de minerais metálicos e energia, que têm se beneficiado do aumento dos preços no mercado internacional.

Em 12 meses o resultado primário do governo central acumulado até janeiro foi de déficit de R$9,7 bilhões, equivalente a 0,02% do PIB (Produto Interno Bruto).

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O resultado primário previsto no Orçamento de 2022 é de déficit de R$79,3 bilhões, abaixo da meta prevista na lei de Diretrizes Orçamentárias do ano, que fixava valor de R$170,5 bilhões.

Compartilhe esta publicação: