Wall Street abre em queda com tensões na Ucrânia e mercado à espera da ata do Fomc

O presidente Joe Biden afirmou ontem (15) que um ataque russo continua sendo uma possibilidade.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Matteo Colombo/Reuters

Acessibilidade


As bolsas de Nova York abriram hoje (16) em baixa, pressionadas pela desconfiança dos investidores com a postura mais diplomática da Rússia em relação às tensões na fronteira com a Ucrânia.

O presidente Joe Biden afirmou ontem (15) que um ataque russo continua sendo uma possibilidade, e que os Estados Unidos estariam preparados para responder com penalidades destinadas a causar “dor econômica e isolamento global”.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Muitos dos comentários de Biden foram direcionados diretamente ao presidente russo, Vladimir Putin, que tem exigido que a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) não aceite a Ucrânia como membro e interrompa qualquer expansão para o leste.

Às 12h02, o Dow Jones caía 0,57%, a 34.789 pontos, o S&P 500 recuava 0,75%, a 4.437 pontos, e o Nasdaq perdia 1,32%, a 13.953 pontos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A sessão de hoje também é marcada pela ata do Fomc, que será divulgada às 16h de Brasília. O relato da última reunião do banco central dos EUA, o Federal Reserve, trará maiores detalhes sobre a política monetária – investidores estão em busca de pistas sobre qual será a magnitude do aperto monetário que o Fed realizará em março.

No encontro, as autoridades concordaram que “em breve será apropriado” aumentar a taxa básica de juros, e também se envolveram em uma extensa discussão sobre o balanço patrimonial do Federal Reserve.

O dólar opera em queda de 0,32%, negociado a R$ 5,1643, refletindo a melhora no apetite por risco dos investidores internacionais vista desde ontem. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: