XP eleva projeção para Selic a 12,75%, com fim de ciclo de aperto em junho

A corretora também manteve sua previsão de que o IPCA subirá 5,2% em 2022 .

Reuters
Compartilhe esta publicação:
ThiagoNori/GettyImages
ThiagoNori/GettyImages

Segundo projeção da corretora, a Selic terá alta em março, maio e junho

Acessibilidade


A XP elevou hoje (14) sua projeção para o patamar da taxa Selic ao fim do atual ciclo de aperto monetário do Banco Central, esperando que os juros cheguem a 12,75% ao ano em junho, com espaço para início de eventual processo de afrouxamento em dezembro.

“As perspectivas para a inflação no Brasil têm se revelado mais desafiadoras que esperávamos, o que justifica um ajuste monetário mais intenso” do que a projeção anterior do cenário base, que era de Selic terminal de 11,75%, disse Caio Megale, economista-chefe da XP, em relatório.

VEJA TAMBÉM: Mercado eleva projeção para Selic a 12,25% este ano e vê inflação mais alta

De acordo com as novas estimativas da corretora, a taxa básica de juros será elevada em 1 ponto percentual em março, 0,75 ponto em maio e 0,25 ponto em junho.

“Com a Selic em um nível tão contracionista, ainda vemos espaço para o início do ciclo de afrouxamento monetário em dezembro”, disse Megale. A XP projeta que a redução dos juros começará com um corte de 0,50 ponto percentual, seguido por decréscimos de 0,75 ponto, até que a Selic atinja o nível neutro de 7,50%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Dados do IBGE da semana passada mostraram que o IPCA subiu 0,54% em janeiro, desacelerando ante avanço de 0,73% em dezembro, mas registrando a taxa mais elevada para um primeiro mês do ano desde 2016. Em 12 meses, o índice saltou 10,38%, depois de ter encerrado 2021 com alta de 10,06%, bem acima do teto da meta.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A XP manteve sua previsão de que o IPCA subirá 5,2% em 2022 como um todo, embora reconheça um “viés de alta” para a conta. Sua projeção para a inflação ao consumidor em 2023 é de 3,25%.

Compartilhe esta publicação: