Companhia dos EUA de serviços de petróleo Baker Hughes suspende investimentos na Rússia

Empresa segue os passos das maiores do setor no mundo, que vêm cortando laços cruciais para a indústria russa sustentar sua produção doméstica.

Lisa Kim
Compartilhe esta publicação:
Universal Images Group_Getty Images
Universal Images Group_Getty Images

Companhia segue os passos de outras gigantes do setor petrolífero

Acessibilidade


A empresa norte-americana de serviços petrolíferos Baker Hughes interrompeu novos investimentos na Rússia, disse em comunicado hoje (19), um dia depois que seus dois maiores concorrentes disseram que estavam fazendo o mesmo após a invasão russa da Ucrânia.

A Baker Hughes, que gera até 5% das vendas totais da Rússia, disse que seu conselho deu sinal verde para a decisão no início da semana, mas continuará com os contratos atuais na Rússia.

LEIA TAMBÉM: O que acontece se a Rússia não conseguir pagar seus credores e der um calote?

A Halliburton, com sede em Houston, que gera cerca de 2% das vendas totais da Rússia, disse ontem (18) que suspendeu trabalhos futuros na Rússia e reduziria suas operações restantes lá, semanas depois de interromper o fornecimento de peças e produtos sancionados ao país.

A Schlumberger, com sede em Houston, também disse ontem que interrompeu novos investimentos na Rússia e o envio de tecnologia para suas operações russas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As principais empresas de produção de petróleo ExxonMobil, BP e Shell se distanciaram da Rússia após seu ataque à Ucrânia. Os Estados Unidos e a União Europeia impuseram sanções à Rússia que bloqueiam o fornecimento de tecnologia de petróleo ao país ou a importação de seus produtos energéticos, e os EUA proibiram as importações de petróleo e gás russos.

A tecnologia e os equipamentos estrangeiros são cruciais para a indústria petrolífera da Rússia sustentar sua produção doméstica. A Rússia, um dos maiores produtores de petróleo e gás do mundo, exportou 8 milhões de barris por dia de petróleo e derivados em janeiro.

Compartilhe esta publicação: