Déficit comercial de bens dos EUA diminui; acúmulo de estoques no varejo desacelera

Déficit caiu 0,9%, para US$ 106,6 bilhões, com recuperação liderada por salto de 6,3% nos embarques de bens de consumo.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters

Exportações dos EUA aumentaram 1,2%, para US$ 157,2 bilhões em fevereiro

Acessibilidade


O déficit comercial de bens dos Estados Unidos diminuiu em fevereiro após atingir uma máxima recorde no mês anterior, refletindo recuperação das exportações, mas qualquer aumento no crescimento econômico neste trimestre pode ser compensado pela desaceleração do ritmo de acúmulo de estoques pelas empresas.

O déficit caiu 0,9%, para US$ 106,6 bilhões, informou o Departamento de Comércio dos EUA hoje (28). As exportações aumentaram 1,2%, para US$ 157,2 bilhões. A recuperação das exportações foi liderada por salto de 6,3% nos embarques de bens de consumo.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

As exportações de alimentos aceleraram 3,6%, enquanto as de insumos industriais aumentaram 2,6%. Mas as exportações de veículos motorizados caíram 3,4%, uma vez que a produção continuou sendo prejudicada pela escassez global de semicondutores. Houve também quedas substanciais nas exportações de bens de capital e outros bens.

As importações de bens subiram 0,3%, para US$ 263,7 bilhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Embora as empresas tenham continuado a reabastecer os estoques em fevereiro, o ritmo foi mais lento do que nos últimos meses de 2021. Os estoques no atacado aumentaram 2,1%, após alta de 1,1% em janeiro. Os estoques no varejo subiram 1,1% em fevereiro, após avanço de 1,9% em janeiro.

Compartilhe esta publicação: