Petrobras ainda não tomou decisão sobre preço do combustível; veja os destaques do Radar

Últimas notícias sobre: Raia Drogasil, Mater Dei, Vibra Energia, Dommo Energia, brMalls, Telefônica e Dexco.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (3), o presidente da Petrobras afirmou que a estatal analisa a pressão de alta da cotação do barril de petróleo, mas por enquanto não há nenhuma decisão tomada quanto a ajustes nos preços dos derivados.

Já a Raia Drogasil anunciou que realizará sua 6ª emissão de debêntures simples na segunda-feira (7). Serão emitidos 250 mil papéis, no valor total de R$ 250 milhões.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Veja esses e outros destaques corporativos do dia:

Petrobras (PETR3; PETR4)

O presidente da Petrobras, general da reserva Joaquim Silva e Luna, afirmou que a estatal analisa a pressão de alta da cotação do barril de petróleo, mas por enquanto não há nenhuma decisão tomada quanto a ajustes nos preços dos derivados.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo ele, após a invasão da Rússia à Ucrânia, o mercado do petróleo ficou “nervoso” e com muitas “incertezas”.

Nesta quarta-feira, o barril do combustível fóssil tipo Brent fechou acima dos US$ 100, com alta de 7,6% a US$ 112,93, depois de tocar o pico de US$ 113,94 o barril durante a sessão.

A Abicom, associação que reúne as distribuidoras, apontou que os valores médios de diesel e gasolina da Petrobras atingiram defasagem de preço de 25%, o maior patamar em 10 anos.

“O mundo mergulhou num cenário de incertezas (com a guerra)”, disse Luna à Reuters.
“É isso que estamos estudando”, acrescentou ele ao ser questionado até quando a Petrobras suportaria a alta de preços do Brent, sem fazer ajustes nas cotações dos derivados de petróleo no mercado interno.

Raia Drogasil (RADL3)

A Raia Drogasil anunciou que realizará sua 6ª emissão de debêntures simples na segunda-feira (7). Serão emitidos 250 mil papéis, no valor total de R$ 250 milhões. Os recursos serão destinados para reembolso de gastos, custos e despesas relacionados à aquisição, construção e/ou reforma de unidades de negócios, afirmou a empresa.

Mater Dei (MATD3)

O Hospital Mater Dei informou que foi aprovada, por meio de sua subsidiária RMDS Participações, a celebração do contrato de compra e venda e outras avenças da aquisição de participação representativa entre 75% e 80% do Hospital e Maternidade Santa Clara, em Minas Gerais, com a permanência da grande maioria dos médicos sócios do HSC.

O valor da operação é de R$ 234 milhões, do qual será descontado o endividamento líquido, implicando um múltiplo implícito de R$ 1,35 milhão por leito. A receita líquida do HSC nos doze meses encerrados em outubro de 2021 foi de R$ 137 milhões.

Vibra Energia (VBBR3)

A Vibra Energia e os sócios fundadores da Vibra Comercializadora (antiga Targus) passarão a compor um bloco de acionistas da comercializadora de energia Comerc, detentores de 50% de seu capital social, conforme previsto em acordo anunciado no ano passado.

A informação foi publicada em fato relevante nesta quarta-feira pela Vibra, que também informou que um avanço do negócio permitiu que a empresa tenha a opção de adquirir até a totalidade das ações de emissão da Comerc, a partir de 2026.

O importante passo ocorre como consequência do acordo de R$ 3,25 bilhões fechado em outubro para adquirir 50% do capital da Comerc, uma das maiores em comercialização de energia do Brasil.

Dommo Energia (DMMO3)

A Dommo Energia informou que, em 22 de fevereiro, submeteu à B3 pedido de dilação de prazo para a adoção de medidas cabíveis para enquadrar a cotação de suas ações em valor superior a R$ 1,00.

O fundamento de tal pedido foi a grande volatilidade do preço das ações de emissão da companhia nos últimos dias, o que dificultaria a estipulação adequada do fator de grupamento.

brMalls (BRML3)

A brMalls anunciou a venda de 30% da sua participação no Center Shopping Uberlândia, localizado na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, para os sócios atuais pelo valor de R$ 307 milhões, a ser pago à vista.

A brMalls permanecerá com 21,0% de participação no empreendimento e se manterá como administradora e comercializadora do shopping.

Telefônica (VIVT3)

A Telefônica assinou TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com a Anatel, no valor de R$ 435 milhões. O acordo tem previsão de duração de quatro anos e prevê a troca de multas por investimentos.

O montante inclui investimentos de R$ 216 milhões em compromissos adicionais para a implantação de três rotas de backbone de fibra ótica na Região Nordeste, interligando 42 municípios.

Dexco (DXCO3)

A Dexco concluiu, por meio da sua controlada Dexco Revestimentos Cerâmicos, a aquisição de 100% do capital social da Castellato, que atua no segmento de pisos e revestimentos de concreto arquitetônico. Não foram mencionados os valores da operação. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: