Reguladores da UE buscam simplificar regras antitruste

Comissão Europeia enquadrou Google, Apple, Amazon, Meta, Microsoft e Intel com regras antitruste, impondo bilhões de euros em multas.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
YvesHerman/Reuters
YvesHerman/Reuters

Comissão Europeia quer manter sua posição de liderança mundial na legislação antitruste

Acessibilidade


Autoridades europeias estão procurando atualizar regras antitruste, de proteção à concorrência, para torná-las mais eficientes, disse hoje (31) a chefe antitruste da União Europeia, Margrethe Vestager.

Dentro das regras, conhecidas como Regulamento 1/2003 e em vigor desde 2004, a Comissão Europeia enquadrou Google, Apple, Amazon, Meta, Microsoft e Intel e impôs bilhões de euros em multas.

As regras também permitiram que o órgão de defesa da concorrência da União Europeia agisse contra cartéis de autopeças, manipulação de indicadores de referência em mercados financeiros e outras práticas ilegais de fixação de preços, colocando a agência do bloco na vanguarda da fiscalização antitruste.

A Comissão quer manter sua posição de liderança, disse Vestager.

“Estou anunciando hoje que nos próximos meses vamos lançar uma avaliação do Regulamento 1/2003, a base de nossa estrutura de fiscalização antitruste”, disse, em uma conferência organizada pela consultoria econômica CRA.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Leia mais: Google é multado em € 220 milhões e anuncia mudanças em práticas globais de anúncios

“É importante ouvir as opiniões das partes interessadas sobre o que funcionou bem e onde há espaço para procedimentos e ferramentas de aplicação mais eficientes e eficazes; certificando-se de que o Regulamento 1 é realmente ‘adequado para a era digital’”, completou.

Vestager disse que a atualização das regras vai buscar torná-las mais operacionais e úteis para as empresas. Tais mudanças processuais estariam relacionadas a solicitações de informações enviadas a empresas, operações de busca, audiências orais em que as empresas buscam defender seus casos e o teto de 10% das multas aplicadas por descumprimento.

Compartilhe esta publicação: