Rússia proíbe pagamentos a estrangeiros detentores de títulos denominados em rublos e ações

Os estrangeiros detinham cerca de 3 trilhões de rublos em dívida soberana.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

Rússia proíbe pagamentos a estrangeiros detentores de títulos denominados em rublos

Acessibilidade


Investidores estrangeiros estão efetivamente presos às suas carteiras em ações russas e títulos denominados em rublos, depois que o banco central da Rússia suspendeu temporariamente os pagamentos e os principais sistemas de liquidação no exterior pararam de aceitar ativos russos.

Moscou está impedindo que investidores estrangeiros, que detêm dezenas de bilhões de dólares em ações e títulos russos, deixem seus ativos, depois que a invasão da Ucrânia desencadeou uma onda de sanções econômicas e uma hemorragia nos mercados russos.

O Banco da Rússia disse hoje que proibiu o pagamento de cupons para investidores estrangeiros detentores de dívida soberana denominada em rublos, e as empresas russas também foram impedidas de pagar dividendos a acionistas estrangeiros. A autoridade monetária não especificou quanto tempo as restrições, que não se aplicam a investidores locais, vão durar.

“Os emissores são elegíveis para tomar decisões sobre o pagamento de dividendos e pagamentos de outros títulos”, disse o banco central em comunicado. “Mas pagamentos reais… para clientes estrangeiros não serão feitos. Isso também se aplica à dívida soberana denominada em rublos.”

Os estrangeiros detinham cerca de 3 trilhões de rublos (R$ 138 bilhões) em dívida soberana denominada em rublos de um mercado total de 15,5 trilhões de rublos, segundo dados do banco central de 1º de fevereiro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O BC russo também disse hoje que vai suspender temporariamente as transferências de entidades e indivíduos legais estrangeiros de vários países para contas no exterior.

O banco ainda disse que vai limitar temporariamente as transferências a alguns países ao equivalente de R$ 28 mil por mês para não residentes que não têm uma conta.

O sistema russo para supervisionar a venda de títulos disse separadamente que estava limitando as opções de pagamento de ativos russos para indivíduos e empresas estrangeiras, bem como o direito de transferir esses ativos, de acordo com uma solicitação do banco central.

Os maiores sistemas de liquidação do mundo, Euroclear e Clearstream, não estão mais aceitando ativos russos, efetivamente fechando uma rota de saída para investidores estrangeiros.

 

Compartilhe esta publicação: