Salto da inflação e guerra turvam trajetória de juros do Fed

O comitê de definição da política monetária do Fed deve elevar os custos dos empréstimos em 0,25%.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Tom Williams/ Pool via Reuters
Tom Williams/ Pool via Reuters

Chair do Fed, Jerome Powell

Acessibilidade


Novas projeções econômicas do Federal Reserve nesta semana mostrarão até que ponto e com que rapidez as autoridades esperam aumentar os juros este ano, num primeiro teste do impacto da guerra na Ucrânia e do salto da inflação no novo ciclo de política monetária que se aproxima nos Estados Unidos.

O comitê de definição da política monetária do Fed deve elevar os custos dos empréstimos em 0,25 ponto percentual ao final de sua reunião de dois dias, na quarta-feira, que dará o tom da reação do banco central ao choque de energia causado pela guerra, que está colidindo com a reabertura econômica pós-pandemia e uma forte demanda do consumidor.

As novas projeções econômicas trimestrais, que serão divulgadas junto com o comunicado de política monetária, na quarta-feira, mostrarão o que as autoridades antecipam em termos de indicadores-chave, como crescimento do PIB, inflação e desemprego. Em particular, as perspectivas atualizadas sinalizarão quão agressivas elas podem ser no aumento dos juros e se isso pode comprometer um período recorde de desemprego baixo.

A reunião desta semana “é complicada” pela necessidade de responder rapidamente à inflação, agora numa máxima em 40 anos, mas também pelo desejo de conter os preços sem aumentar a taxa de desemprego, disse Steve Englander, chefe de pesquisa macro para a América do Norte no Standard Chartered.

Englander disse esperar que o Fed sinalize aumentos de juros totalizando 1,25 a 1,50 ponto percentual de alta neste ano, o que é menos do que muitos investidores esperam atualmente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A mediana das estimativas de economistas consultados pela Reuters também projeta que o Fed elevará os juros ante atual nível próximo de zero para uma faixa entre 1,25% e 1,50% até o final de 2022, o equivalente a cinco altas de 0,25 ponto percentual.

Investidores em contratos futuros vinculados à meta dos juros básicos do Fed atualmente esperam que o banco central eleve os custos dos empréstimos em ritmo um pouco mais rápido, encerrando o ano em intervalo entre 1,75% e 2,00%.

“O crescimento e o desemprego devem ser revisados para baixo, enquanto a inflação geral e seu núcleo devem ser revisados para cima… Esperamos uma mensagem ‘hawkish’ (dura no combate à inflação) do chair Jerome Powell, que provavelmente reiterará que o Fed precisa levar a sério a estabilidade de preços”, escreveram analistas do BofA.

 

Compartilhe esta publicação: