Suzano espera recuo de desembolso operacional em celulose até 2027 e demanda e ofertas maiores

Em 2021, o indicador foi de 1.669 reais por tonelada, considerando um raio médio de obtenção de madeira de 220 quilômetros.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Fábrica de celulose.

Acessibilidade


A Suzano informou hoje (30) que estima um desembolso total operacional no negócio de celulose de cerca de 1.500 reais por tonelada até 2027, projeção que inclui a nova fábrica que a companhia está erguendo no Centro-Oeste.

A estimativa anterior, que ia até 2024, foi descontinuada. Em 2021, o indicador foi de 1.669 reais por tonelada, considerando um raio médio de obtenção de madeira de 220 quilômetros e uso de 43% de madeira de produtores terceiros.

A nova projeção considera um raio médio de 164 quilômetros e percentual de madeira de terceiros de 22%.

A Suzano afirmou que a projeção de desembolso total operacional inclui custo caixa de produção por tonelada de 620 reais, com paradas programadas de operação. A cifra total também contempla custos e despesas logísticas, com vendas e administrativas de 560 reais por tonelada e investimentos de manutenção de 320 reais por tonelada de celulose.

A companhia, maior produtora de celulose de eucalipto do mundo, estima que a demanda global pela matéria-prima vai crescer pelo menos 6,7 milhões de toneladas até 2026, para 43,1 milhões de toneladas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Já a expectativa para a capacidade de produção de celulose de eucalipto no mundo até 2026 é de alta de 6,9 milhões de toneladas, para 47,5 milhões de toneladas.

Compartilhe esta publicação: