EUA e aliados vão proibir investimentos na Rússia e sancionar bancos

Em resposta aos crimes de guerra contra a Ucrânia, novas medidas querem provocar o "isolamento econômico, financeiro e tecnológico" russo.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
mashabuba/Getty Images
mashabuba/Getty Images

Novas sanções dos EUA imporão restrições adicionais a instituições financeiras e empresas estatais na Rússia

Acessibilidade


Os Estados Unidos e seus aliados terão como alvo bancos e autoridades russas com um “pacote abrangente” de sanções hoje (6), e proibirão novos investimentos na Rússia, disse a Casa Branca, depois que Washington e Kiev acusaram Moscou de cometer crimes de guerra na Ucrânia.

As novas sanções imporão restrições adicionais a instituições financeiras e empresas estatais na Rússia e atingirão autoridades do governo russo e suas famílias, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, ontem (5).

VEJA TAMBÉM: Airbnb suspende operações na Rússia e em Belarus

“Amanhã, o que vamos anunciar… em coordenação com o G7 e a UE, (é) um pacote abrangente adicional de medidas de sanções que irá impor custos à Rússia e enviá-la ainda mais para o caminho do isolamento econômico, financeiro e tecnológico“, afirmou Psaki, observando que o G7 e a UE representam cerca de 50% da economia global.

As medidas vão “degradar os principais instrumentos do poder estatal russo, impor danos econômicos agudos e imediatos à Rússia e responsabilizar a cleptocracia russa que financia e apoia a guerra de Putin”, disse.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ela se recusou a comentar os relatos de que as sanções teriam como alvo as filhas de Putin.

O Departamento de Justiça dos EUA também planeja anunciar novas ações de fiscalização para interromper e processar atividades criminosas da Rússia.

Imagens sombrias da cidade ucraniana de Bucha, incluindo uma vala comum e corpos de pessoas baleadas à queima-roupa, levaram a pedidos de ação mais dura contra Moscou e uma investigação internacional.

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, disse que os assassinatos fazem parte de uma campanha russa deliberada para cometer atrocidades. A Rússia, que diz ter lançado uma “operação militar especial” na Ucrânia em 24 de fevereiro, nega ter como alvo civis e afirmou que as imagens das mortes foram uma “falsificação monstruosa” encenada pelo Ocidente. Nenhum deles forneceu evidências para apoiar as afirmações.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Uma autoridade francesa de alto escalão disse que a União Europeia provavelmente também imporá novas sanções hoje (6). O Wall Street Journal informou que o Sberbank pode estar entre os bancos visados.

Dois diplomatas europeus afirmaram que o pacote final de sanções será anunciado de forma coordenada.

Compartilhe esta publicação: