Ibovespa abre em queda com incerteza sobre o futuro da Petrobras (PETR4)

A indicação de Adriano Pires para substituir o general Joaquim Silva e Luna na presidência da estatal ainda está sob análise legal.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em queda de 0,27% na abertura do pregão de hoje (4), a 121.238 pontos, às 10h22, horário de Brasília. O índice reflete a cautela dos investidores por conta das mudanças no comando da Petrobras, ao início de uma semana que contará com a divulgação de dados importantes.

A indicação de Adriano Pires para substituir o general Joaquim Silva e Luna na presidência da estatal ainda está sob análise legal. Segundo o Ministério Público, há possibilidade de existir conflito de interesses já que o consultor “há mais de 20 anos presta serviços para as principais multinacionais de petróleo, gás e energia.”

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Além disso, ontem (3), o ex-executivo da Petrobras Rodolfo Landim disse que não vai mais comandar o conselho de administração da petroleira, adicionando mais incerteza ao futuro da companhia.

“Quando tudo parecia ter se acalmado em relação à escolha do novo candidato à presidência, Landim soltou a nota de desistência. Essa notícia deve trazer bastante volatilidade ao papel no pregão de hoje”, comenta Victor Hugo Israel, especialista em renda variável da Blue3.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As ações da Petrobras (PETR3 e PETR4) operam com quedas de 1,14% e 0,70%, respectivamente.

Esta semana, o mercado aguarda a divulgação da ata da última reunião do Fomc (Comitê de Mercado Aberto do Banco Central norte-americano) na quarta-feira (6), que deverá preparar o terreno para a próxima reunião da autoridade monetária em maio.

Já na sexta-feira (8), haverá a divulgação do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de março, com expectativas de avanço de 1,28% em relação a fevereiro, acumulando um crescimento de 10,93% nos últimos 12 meses.

O dólar opera em queda de 0,78%, sendo negociado a R$ 4,6304 na venda.

Na Europa, os principais índices operam sem direção definida. A União Europeia deve discutir ainda hoje novas sanções contra a Rússia, após assassinatos de civis no norte da Ucrânia por soldados russos causarem comoção mundial.

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse que deseja ver um embargo às importações de petróleo e carvão da Rússia “nesta semana”.

Por volta das 10h22, o Stoxx 600 ganhava 0,36%; na Alemanha, o DAX permanecia estável; na França, o CAC 40 operava em alta de 0,19%; na Itália, o FTSE MIB perdia 0,27%; enquanto, no Reino Unido, o FTSE 100 avançava 0,10%.

Na Ásia, o mercado acionário japonês fechou em alta, acompanhando os ganhos em Wall Street e em outros mercados acionários da Ásia.

Na última sexta-feira (1º), Wall Street registrou leves ganhos uma vez que o relatório de emprego dos Estados Unidos indicou um mercado de trabalho forte, o que deve ajudar o Federal Reserve, banco central norte-americano, a manter sua postura de política monetária agressiva contra a inflação.

Na China, um feriado fechou os mercados acionários no país e reduziu o volume de negociações na região.

O Hang Seng, de Hong Kong, subiu 2,10%; e o BSE Sensex, de Mumbai, fechou o dia em alta de 2,25%. Já no Japão, o índice Nikkei ganhou 0,25%. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: