Ibovespa recua 1% na abertura e acompanha movimento de queda no exterior

O índice é pressionado pelas commodities, que têm sessão de perdas acentuadas, e pela perspectiva de recessão na maior economia do mundo.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em queda de 1,10% na abertura do pregão de hoje (25), a 109.857 pontos, às 10h14, horário de Brasília. O índice é pressionado pelo movimento de baixa das commodities e acompanha os mercados internacionais, que temem uma recessão na maior economia do mundo.

Os contratos futuros do minério de ferro na bolsa de Dalian caíram quase 11% nesta segunda-feira, enquanto o petróleo Brent registra recuo de mais de 4%, sendo negociado a US$ 101 o barril.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

As quedas refletem a perspectiva de crescimento global mais fraco, taxas de juros mais altas, e redução da demanda pelas commodities na China por conta dos lockdowns contra a Covid-19. Seguindo esse movimento, a mineradora Vale (VALE3) registra queda de 2,75%, enquanto os papéis da Petrobras (PETR3 e PETR4) recuam 1,20% e 1,90%, respectivamente.

No cenário global, investidores repercutem a possibilidade de o Federal Reserve, banco central norte-americano, realizar três altas seguidas de 0,50 ponto-percentual na taxa básica de juros dos Estados Unidos, movimento que poderia colocar o país em recessão.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Nesta semana, o mercado norte-americano também deve permanecer em foco por conta dos resultados corporativos de grandes empresas de tecnologia, como Microsoft, Amazon e Apple.

O dólar registra alta de 0,87%, sendo negociado a R$ 4,8477 na venda.

Na Ásia, o mercado acionário chinês registrou a maior queda desde fevereiro de 2020, reagindo às preocupações com o surto de Covid-19 no país e temores em relação às restrições adotadas em Pequim.

O maior distrito da capital chinesa passou a exigir que todos que moram ou trabalham na área façam três testes de Covid nesta semana, e isolou mais de uma dúzia de prédios depois que a cidade registrou 22 novos casos da doença no sábado (23).

O Hang Seng, de Hong Kong, caiu 3,73%; e o BSE Sensex, de Mumbai, fechou o dia em baixa de 1,08%. Já no Japão, o índice Nikkei perdeu 1,90%, enquanto o Shangai, na China continental, despencou 5,13%.

Na Europa, os principais índices operam em baixa, apesar do alívio nas eleições da França, que viram o atual presidente Emmanuel Macron vencer a candidata de extrema-direita Marine Le Pen.

A guerra na Ucrânia permanece no foco dos mercados, com a perspectiva de adoção de uma postura mais bélica por parte do presidente russo, Vladimir Putin, diante de acusações de crimes de guerra. Hoje, o país anunciou um cessar-fogo temporário para a evacuação de civis na siderúrgica ucraniana Azovstal, último foco de resistência da cidade de Mariupol.

Por volta das 10h14, o Stoxx 600 perdia 1,31%; na Alemanha, o DAX recuava 0,82%; na França, o CAC 40 operava em baixa de 1,32%; na Itália, o FTSE MIB cedia 0,79%; enquanto, no Reino Unido, o FTSE 100 caía 1,51%. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: