Indicadores afetados por greve serão divulgados o mais cedo possível, diz Banco Central

A greve dos funcionários da instituição por reajustes salariais vinha afetando várias publicações rotineiras nas últimas semanas.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

Sede do Banco Central em Brasília

Acessibilidade


O Banco Central informou nesta quarta-feira que relatórios, notas e indicadores pendentes ou programados para os próximos dias serão divulgados o mais cedo possível, depois que servidores da autarquia aprovaram na véspera a suspensão de uma greve deflagrada no início do mês.

A assessoria do BC afirmou em nota que informará com pelo menos 24 horas de antecedência as datas em que serão divulgados os indicadores, que incluem o boletim Focus e o IBC-Br.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Pouco depois, a autoridade monetária informou que divulgará na segunda-feira (25), às 15h, o Relatório de Poupança atualizado até o dia 13 de abril, ressaltando que, se possível, serão incluídas também as datas de 14 e 15 de abril.

A greve dos funcionários da instituição por reajustes salariais vinha afetando várias publicações rotineiras nas últimas semanas. Apesar de sua suspensão, os servidores do BC continuarão trabalhando em regime de operação padrão, com paralisações parciais diárias, disseram representantes dos funcionários na terça-feira.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Leia também: Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

Fontes do Ministério da Economia disseram à Reuters que o governo decidiu conceder um reajuste de 5% a todos os servidores públicos –que vêm pressionando por aumentos em várias categorias– a partir de julho, mas a proposta ainda não foi anunciada publicamente e o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Esteves Colnago, disse esta semana que há outras alternativas na mesa.

Compartilhe esta publicação: