Lucro do Goldman Sachs cai quase pela metade no 1º tri, mas supera estimativa do mercado

Analistas esperavam um lucro de US$ 8,89 por ação.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Goldman Sachs divulgou hoje (14) uma queda de 43% no lucro no primeiro trimestre de 2022 na comparação anual, porém acima das expectativas de Wall Street, à medida que os fortes desempenhos nos negócios de gestão de patrimônio e trading compensaram parcialmente uma queda de receitas com listagens no mercado de ações.

Os bancos de Wall Street estão sob pressão em meio a uma queda nas transações globalmente, mas a volatilidade alimentada por preocupações com aumentos de juros e as consequências econômicas da guerra na Ucrânia ajudaram as operações do Goldman Sachs a superar as expectativas.

LEIA TAMBÉM: Banco Central da Ucrânia diz que economia pode contrair em ao menos um terço neste ano

O banco divulgou lucro aplicável aos acionistas comuns de US$ 3,83 bilhões, ou US$ 10,76 por ação, no primeiro trimestre. Analistas esperavam um lucro de US$ 8,89 por ação, segundo dados da Refinitiv.

O segmento de mercados globais do banco registrou receita líquida de US$ 7,87 bilhões, um salto de 4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a política monetária acomodativa do Fed (Federal Reserve), o banco central norte-americano, levou a níveis elevados de atividade de negociações de ativos. O desempenho robusto foi impulsionado por um aumento de 21% na receita de renda fixa, disse o banco.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A receita líquida com operações de varejo e gestão de patrimônio registrou um salto de 21% para US$ 2,10 bilhões, ajudada por taxas de administração mais altas e saldos de cartão de crédito.

A receita do banco de investimento, no entanto, caiu 36%, para US$ 2,41 bilhões, uma vez que as taxas cobradas pelo banco para assessoria em listagens no mercado de ações e operações no segmento de renda fixa caíram em meio ao cenário de tensões crescentes, e posterior guerra, entre a Rússia e a Ucrânia.

A receita com a assessoria de fusões e aquisições permaneceu praticamente inalterada em US$ 1,13 bilhão, em nítido contraste com o rival Morgan Stanley, cuja receita do negócio dobrou.

O Goldman Sachs também reduziu as despesas operacionais em 18% no trimestre, principalmente devido a menores gastos com remuneração e benefícios.

A receita líquida total do banco caiu para US$ 12,93 bilhões no trimestre, uma queda de quase 27% em relação a um ano antes.

Compartilhe esta publicação: