Ações europeias tocam mínima em 2 meses com queda de setores de viagens e tecnologia

O índice pan-europeu STOXX 600 recuou 2,90%.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Personal/Reuters
Personal/Reuters

O índice pan-europeu STOXX 600 recuou 2,90%

Acessibilidade


As ações europeias atingiram mínimas em dois meses hoje (9), lideradas por setores como viagens e lazer e tecnologia, com uma combinação de preocupações sobre as restrições prolongadas contra a Covid-19 na China e o aumento dos rendimentos dos títulos alimentando a pressão vendedora.

O índice pan-europeu STOXX 600 recuou 2,90%, a 417,46 pontos, para atingir seu menor patamar desde 8 de março, com papéis de viagens e lazer em queda de 6,0%.

Leia mais: Bitcoin cai para mínima de 10 meses com recuo de mercados de ações

As ações de tecnologia cederam 5,0% e chegaram a mínimas desde novembro de 2020, com os retornos dos títulos dos governos de Estados Unidos e Europa saltando a picos em vários anos por apostas de elevações mais rápidas das taxas de juros com o objetivo de conter a inflação.

Robert Holzmann, formulador de política monetária favorável a uma abordagem dura no combate à inflação, disse no fim de semana que o Banco Central Europeu deve subir os juros até três vezes neste ano para combater a alta dos preços.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O índice de referência STOXX 600 perde mais de 5% até agora em maio, conforme medidas sanitárias contra a Covid na China, o aperto agressivo da política monetária e a guerra na Ucrânia alimentam temores sobre uma desaceleração econômica global. O índice recua 15,6% desde que atingiu uma máxima recorde em janeiro.

Compartilhe esta publicação: