BC britânico enfrenta teste histórico, mas não é culpado pela inflação, diz presidente

Compartilhe esta publicação:

Por David Milliken e Farouq Suleiman

Acessibilidade


LONDRES (Reuters) – O presidente do banco central britânico, Andrew Bailey, afirmou nesta segunda-feira que o atual aumento da inflação é o maior desafio do Banco da Inglaterra desde que conquistou sua independência em 1997, mas que não poderia ter feito nada para deter o avanço dos preços.

“Devo enfatizar que –obviamente– não me sinto nada feliz com isso”, disse Bailey ao Comitê do Tesouro na câmara baixa do parlamento britânico. “Esta é uma situação ruim para se estar.”

Bailey foi alvo de críticas por parte de alguns parlamentares do Partido Conservador, que está sentindo a pressão da crise do custo de vida.

A taxa de inflação ao consumidor do Reino Unido atingiu 7,0% em março e economistas consultados pela Reuters esperam que ela salte para 9,1%, pico desde 1982, quando os dados de abril forem publicados na quarta-feira.

Questionado se o Banco da Inglaterra poderia ter feito algo de diferente, Bailey afirmou: “Não acho que poderíamos. Não acho que poderíamos prever uma guerra na Ucrânia. Outro fator com o qual lidamos no momento é mais uma etapa da Covid-19, que afeta a China”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: