BCE não deveria buscar taxa neutra, diz autoridade

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


FRANKFURT (Reuters) – A normalização da política do Banco Central Europeu não deve equivaler a fazer com que as taxas de juros voltem a um ponto neutro, disse nesta quarta-feira Fabio Panetta, membro do Conselho do BCE, desafiando uma visão apresentada por outros, incluindo a chefe do BCE Christine Lagarde.

Com a inflação subindo a níveis recordes e até mesmo as expectativas de longo prazo avançando, as autoridades defenderam o aumento dos juros e Lagarde disse esta semana que a alta das taxas “em direção ao neutro” será apropriada.

Panetta, considerado mais inclinado a estímulos monetários no Conselho, contudo, argumentou que o objetivo deveria ser consolidar as expectativas de inflação em torno da meta, ao invés de uma taxa “neutra” imensurável, em que a política monetária não estimula nem atrasa a economia

“Normal não significa neutro… o processo de normalização não deve ser avaliado contra pontos de referência não observáveis, tais como a taxa de juros natural ou neutra”, disse Panetta em um discurso

Outros, incluindo o chefe do banco central francês François Villeroy de Galhau, uma influente voz centrista, também argumentaram que a taxa neutra é um ponto de referência fundamental na normalização das políticas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A taxa nominal neutra é estimada entre 1% e 2%, ou 150 a 250 pontos-base acima da atual taxa de depósitos de – 0,5%, sugerindo que o BCE poderia aumentar a taxa até o próximo ano antes de se aproximar deste nível

(Reportagem de Francesco Canepa)

Compartilhe esta publicação: