Bullard, do Fed, vê inflação de abril pressionada, mas sem alta de 0,75 p.p. no juro “por ora”

(Reuters) – A inflação de abril nos Estados Unidos –de 8,3% em base anual– permaneceu pressionada, mas ainda não exige que o banco central dos EUA migre para ajustes de 0,75 ponto percentual na taxa.

Compartilhe esta publicação:

(Reuters) – A inflação de abril nos Estados Unidos –de 8,3% em base anual– permaneceu pressionada, mas ainda não exige que o banco central dos EUA migre para ajustes de 0,75 ponto percentual na taxa de juros, afirmou nesta quarta-feira o presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard.

Acessibilidade


O plano atual do Fed para aumentos de 0,50 ponto percentual é “uma boa referência por agora”, disse Bullard ao Yahoo Finance. Grandes incrementos “não são meu cenário-base… Acho que temos um bom plano em andamento”, afirmou.

Os comentários de um dos defensores mais vocais de aumentos mais rápidos dos juros do Fed mostram o quanto as autoridades do banco central se uniram em torno do plano delineado na semana passada pelo chair Jerome Powell de aumentar a taxas de juros em 0,50 ponto nas próximas duas reuniões e fazer um balanço ao longo do caminho de como a inflação está se comportando e o que mais precisa ser feito.

Bullard, no entanto, repetiu nesta quarta-feira sentir que o Fed precisará continuar avançando nesses ajustes de 0,50 ponto percentual pelo restante de 2022, o que empurrará a taxa básica para um intervalo entre 3,25% e 3,5% até o fim do ano.

É uma faixa mais elevada do que a projetada por muitas outras autoridades de política monetária do Fed até agora. Mas Bullard afirmou que os dados ainda podem encaminhar o Fed para qualquer direção.

(Por Howard Schneider)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: