China diz que usará várias ferramentas para sustentar o emprego

A taxa oficial de desemprego no país atingiu 5,8% em março, máxima em quase dois anos.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Tyrone Siu/Reuters
Tyrone Siu/Reuters

Pessoas procuram emprego em feira em Hong Kong

Acessibilidade


A China buscará estabilizar a economia e usará várias ferramentas para sustentar o emprego, disse o gabinete segundo a mídia estatal hoje (11).

As políticas fiscal e monetária da China darão prioridade ao emprego, e várias ferramentas serão usadas para ajudar a evitar a perda de empregos, disse o gabinete após reunião regular.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“A nova pressão negativa sobre a economia chinesa aumentou ainda mais em abril devido ao impacto maior do que o esperado de uma nova rodada da pandemia e das mudanças na situação internacional”, disse o gabinete.

A economia sofreu um golpe conforme as autoridades locais corriam para impedir a propagação de casos recordes da Covid-19, que levaram a lockdowns totais ou parciais em dezenas de cidades chinesas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A taxa oficial de desemprego atingiu 5,8% em março, máxima em quase dois anos.

A China isentará o pagamento de juros sobre os empréstimos estudantis devidos este ano para os graduandos universitários deste ano e do ano passado, disse o gabinete.

A estabilidade de preços, a produção de grãos e o fornecimento de mercadorias serão garantidos, acrescentou.

Um adicional de 50 bilhões de iuanes (US$ 7,45 bilhões) em subsídios de energia renovável será alocado para empresas de energia sustentadas pelo governo central, disse o gabinete.

A China também expandirá o investimento efetivo canalizando mais fundos privados para projetos de infraestrutura através da emissão de fundos de investimento imobiliário (REITs), disse o gabinete.

Compartilhe esta publicação: