Cresce participação de investimentos estrangeiros em startups do Brasil

Investidores não residentes participaram de 39% das 238 rodadas de aportes em startups brasileiras de janeiro a abril

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Estados Unidos, Alemanha e Japão são os países com mais gestoras investindo em startups do país

Acessibilidade


A participação de estrangeiros nos aportes em startups do Brasil cresceu neste ano, na comparação com igual período de 2021, segundo levantamento da plataforma de inovação Distrito.

Segundo o estudo, investidores não residentes participaram de 39% das 238 rodadas de aportes em startups brasileiras de janeiro a abril, ante 33% em igual etapa do ano passado.

Estados Unidos, Alemanha e Japão são os países com mais gestoras investindo em startups do país, afirmou a Distrito, citando que os estrangeiros entram principalmente em operações maiores. Captações acima de US$ 50 milhões (R$ 240 milhões) tiveram 90% de participação de gestoras internacionais. Ao menos dois terços do capital investido nos últimos cinco anos veio do exterior.

Só o SoftBank participou de rodadas que somaram 28% dos US$ 9,4 bilhões (R$ 45,2 bilhões) captados. No ano passado, o fundo japonês liderou cinco rodadas que criaram unicórnios – MadeiraMadeira, Unico, Mercado Bitcoin, Merama e frete.com.

Os setores mais buscados por fundos estrangeiros são fintechs (26% das rodadas), retailtechs (12%) e healthtechs (10%), afirma o levantamento.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: