Elon Musk diz que equipe jurídica do Twitter acusou-o de violar acordo de confidencialidade

Rede social acusa o bilionário de ter revelado detalhes sobre amostra que será usada para avaliar contas falsas na plataforma

Reuters
Compartilhe esta publicação:
SOPA Images/Getty Images
SOPA Images/Getty Images

Musk negocia a compra do Twitter por US$ 44 bilhões

Acessibilidade


Elon Musk disse ontem (14) que a equipe jurídica do Twitter o acusou de violar um acordo de confidencialidade ao revelar que o tamanho da amostra para as verificações da plataforma sobre bots (contas automatizadas) e contas falsas era de cem perfis.

“O departamento jurídico do Twitter acabou de me ligar para reclamar que eu violei um acordo de confidencialidade ao revelar que o tamanho da amostra de verificação de bots é de cem perfis!”, tuitou Musk, executivo-chefe da fabricante de carros elétricos Tesla.

Na sexta-feira (13), Musk escreveu que seu acordo de US$ 44 bilhões para fechar o capital do Twitter estava “temporariamente suspenso” enquanto ele aguardava dados sobre o tamanho das contas falsas na plataforma.

Ele disse que sua equipe testaria “uma amostra aleatória de cem seguidores” do Twitter para identificar os bots. Sua resposta a uma pergunta motivou a acusação do Twitter.

Quando um usuário pediu a Musk para “dar detalhes sobre o processo de filtragem de contas de bots”, ele respondeu: “Eu escolhi cem como o número do tamanho da amostra, porque é isso que o Twitter usa para calcular  menos de 5% [de contas] falsas/spam/duplicadas”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Musk tuitou na madrugada deste domingo que ainda não viu “qualquer análise” que mostre que a empresa de mídia social tem menos de 5% de contas falsas.

Mais tarde, ele disse que “há alguma chance de ser mais de 90% dos usuários ativos diários”.

Compartilhe esta publicação: