EUA devem gastar mais de US$ 3 bilhões em baterias de veículos elétricos

O governo também vê nas medidas um passo para garantir a independência energética e cortar as pressões inflacionárias de longo prazo.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Krisanapong Detraphiphat/Getty
Krisanapong Detraphiphat/Getty

Biden quer que metade dos veículos vendidos no país sejam elétricos até 2030

Acessibilidade


O governo Biden alocará mais de US$ 3 bilhões para a fabricação de baterias de veículos elétricos, disseram autoridades dos Estados Unidos hoje (02).

Os recursos serão usados pelo Departamento de Energia e fazem parte do projeto de US$ 1 trilhão para infraestrutura assinado por Biden em 2021. Entre as iniciativas estão o processamento de minerais para uso em baterias de grande capacidade e a reciclagem delas, segundo comunicado.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Biden quer que metade dos veículos vendidos no país sejam elétricos até 2030. Ele espera que a meta impulsione empregos sindicalizados, frustre a concorrência chinesa e reduza as emissões de carbono que alteram o clima.

O governo também vê nas medidas um passo para garantir a independência energética e cortar as pressões inflacionárias de longo prazo exacerbadas pela invasão russa da Ucrânia.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Enquanto enfrentamos esse aumento de preço de Putin no petróleo e gás, também é importante notar que os veículos elétricos serão mais baratos no longo prazo para as famílias americanas”, disse Mitch Landrieu, coordenador de infraestrutura da Casa Branca.

O financiamento ajudará a estabelecer e modernizar fábricas de baterias. A lei de infraestrutura também destinou bilhões de dólares a mais para o governo comprar ônibus elétricos e instalar carregadores de veículos elétricos. A administração tem colaborado com fabricantes, incluindo o presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, a presidente da General Motors, Mary Barra, e o presidente da Ford , Jim Farley.

Os fundos não serão usados em novas minas domésticas para produção de lítio, níquel, cobalto e outros minerais de alta demanda necessários na fabricação dessas baterias. Alguns desses projetos enfrentam oposição local e estão vinculados às revisões ambientais e legais do governo Biden.

“Esses recursos são sobre a cadeia de suprimentos de baterias, que inclui produzir e reciclar minerais críticos sem nova extração ou mineração”, disse Gina McCarthy, consultora nacional de clima de Biden.

Compartilhe esta publicação: