Ibovespa abre em alta acompanhando ânimo das bolsas internacionais

Dólar é negociado em alta e caminha para marcar sua 4º valorização semanal seguida.

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em alta de 0,49% na abertura do pregão de hoje (13), a 106.233 pontos perto das 10h20, horário de Brasília. Os investidores seguem acompanhando a divulgação dos balanços financeiros do 1º trimestre, enquanto continuam preocupados com a desaceleração do crescimento da economia.

Ontem (12), o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, afirmou que está confiante com a aprovação da capitalização da Eletrobras (ELET3/ELET6), no Tribunal de Contas da União (TCU), mas alertou que, para a oferta de ações ser bem sucedida, teria que ocorrer antes de meados de julho. As ações da companhia abriram em alta de 1,03% e 1,98%.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Pouco antes do fechamento, o Banco Inter (BIDI11) informou que seus acionistas aprovaram uma proposta de reorganização societária, que é parte do plano de migração das ações para a Nasdaq. Com a migração, o banco deve manter os BDRs negociados na B3. Os papéis subiam 6,73%.

Com a agenda esvaziada, o mercado também deve repercutir os resultados financeiros do 1º trimestre de ontem, enquanto aguarda pela divulgação de Cemig (CMIG4), Cosan (CSAN3), M Dias Branco (MDIA3), Raízen (RAIZ4) e SER Educacional (SEER3), após o fechamento do mercado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O dólar sobe 0,04% ante o real por volta das 10h20. A moeda era negociada a R$ 5,1413.

Mercados internacionais

Nos Estados Unidos, a preocupação com a inflação segue entre os assuntos mais comentados. Ontem (12), o presidente do Federal Reserve (banco central norte-americano), Jerome Powell , afirmou que controlar esse problema não será fácil e alertou que não pode garantir que as medidas sejam leves para a economia como um todo.

Na Ásia, as ações da China fecharam em alta, após Xangai dizer que busca deter ainda neste mês a propagação da Covid-19 em áreas fora de suas zonas de quarentena, enquanto as promessas das autoridades de sustentar a economia também ajudaram o sentimento.

Por lá, o banco central deve deixar os custos dos empréstimos de médio prazo inalterados na reunião de segunda-feira (16), apesar da pressão maciça sobre a economia devido aos prolongados lockdowns da Covid-19 em várias cidades.

O Hang Seng, de Hong Kong, valorizou 2,68%; e o BSE Sensex, de Mumbai, fechou o dia em recuo de 0,26%. Já na China continental, o índice Shanghai cresceu 0,75%; e no Japão, o índice Nikkei subiu 2,64%.

Na Europa, os líderes dos países estão buscando formas alternativas de garantir o fornecimento de gás, após Moscou anunciar sanções às subsidiárias europeias da Gazprom, estatal de gás russa.

A medida foi tomada depois que a Ucrânia suspendeu os fluxos russos para a Europa por meio de um ponto de entrada importante.

Por lá, o membro do Conselho do Banco Central Europeu (BCE), Mario Centeno, disse que o banco deve iniciar um ciclo de aumento das taxas de juros no início de julho, e pediu que qualquer retirada de estímulo seja feita gradualmente.

O Stoxx 600 ganhava 1,60%; na Alemanha, o DAX sobe 1,52%; o CAC 40 em alta de 1,83% na França; na Itália, o FTSE MIB sobe 1,49%; enquanto o FTSE 100 tem valorização de 1,75% no Reino Unido. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: