Itaú gera mais crédito e receitas, compensa provisões e lucro sobe 15% no 1º tri

Maior banco brasileiro teve lucro recorrente de R$ 7,36 bilhões e aumentou sua carteira de empréstimos para R$ 1,03 trilhão.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Itaú Unibanco acelerou o crédito e receitas com serviços e controlou despesas no primeiro trimestre, o que o ajudou a compensar a forte alta de provisões para perdas com calotes e o fez ter um lucro recorrente 15% maior.

O maior banco brasileiro anunciou hoje (9) que seu lucro recorrente de janeiro a março somou R$ 7,36 bilhões, número praticamente em linha com a projeção média de analistas consultados pela Refinitiv, de R$ 7,35 bilhões.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O Itaú fez sua carteira de empréstimos evoluir 13,9% em 12 meses até março, para R$ 1,03 trilhão, com impulso de linhas para pessoas físicas, como cartão de crédito (+41,5%), imobiliário (+44,5%) e crédito pessoal (+26,8%), além de evolução de 29,2% nos financiamentos para pequenas e médias empresas.

Beneficiado pelo efeito da alta do juro sobre seus passivos e da aceleração de linhas de crédito mais lucrativas, o banco viu sua margem com clientes se expandir em 23,9% ano a ano, para R$ 20,04 bilhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Além disso, a receita com serviços da instituição cresceu 9,6% no comparativo anual, para R$ 11,6 bilhões, com impulso das área de cartões (+18,6%) e de seguros (+24,1%).

Na outra ponta, as despesas administrativas evoluíram 3,8%, para R$ 10,8 bilhões, nível bastante inferior ao da inflação medida pelo IPCA no período, de 11,3%.

Com isso, o Itaú conseguiu compensar o salto de 69,5% no chamado custo do crédito, que mede quando o banco provisionou para perdas com calotes esperados, menos valores recuperados. O banco atribuiu esse avanço à “maior originação em produtos de crédito ao consumo sem garantias”.

No conjunto, o retorno recorrente sobre o patrimônio do Itaú subiu 1,9 ponto percentual, para 20,4%.

O grupo manteve suas projeções de desempenho para 2022.

O resultado vem após o rival Bradesco ter anunciado semana passada aumento de 4,7% no lucro do trimestre, sobre um ano antes, refletindo maiores receitas com crédito e controle de despesas.

E o Santander Brasil havia anunciado no final de abril lucro trimestral 1,3% maior, mesmo após as provisões para perdas com empréstimos avançarem 45,9% no período.

Compartilhe esta publicação: