Os atletas mais bem pagos do mundo ganharam quase R$ 15 bilhões no último ano

Três atletas ultrapassaram o marco de US$ 100 milhões (R$ 490 milhões) em ganhos totais nos últimos 12 meses

Brett Knight
Compartilhe esta publicação:
Ashley Landis/Associated Press
Ashley Landis/Associated Press

LeBron James ganhou cerca de R$ 593,8 milhões no período, um recorde para um jogador da NBA

Acessibilidade


Mais rápido, mais alto, mais forte: essa é uma atitude que compensa tanto em campo quanto fora dele.

Os 50 atletas mais bem pagos do mundo arrecadaram US$ 2,97 bilhões (R$ 14,5 bilhões) antes de impostos e outras taxas nos 12 meses encerrados em 1º de maio, quebrando o recorde de 2021 de US$ 2,76 bilhões (R$ 13,5 bilhões).

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A lista deste ano apresenta muitos outros números notáveis. Aqui estão alguns:

3: Número de atletas que ultrapassaram US$ 100 milhões (R$ 490 milhões) em ganhos totais nos últimos 12 meses. LeBron James, com US$ 121,2 milhões (R$ 593,8 milhões), atinge o marco pela primeira vez na lista de atletas da Forbes, enquanto Lionel Messi (US$ 130 milhões, ou R$ 637 milhões) e Cristiano Ronaldo (US$ 115 milhões, ou R$ 563,5 milhões) já apareceram cinco vezes nesse grupo. Além deles, apenas sete atletas já conseguiram o feito: Roger Federer, Floyd Mayweather, Conor McGregor, Neymar, Manny Pacquiao, Dak Prescott e Tiger Woods.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

9: Número de esportes representados na lista, liderados pelo basquete, com 18 atletas. O futebol americano tem 14, seguido pelo futebol (5), boxe (3), golfe (3), tênis (3), automobilismo de Fórmula 1 (2), beisebol (1) e artes marciais mistas (1). Outros esportes – incluindo críquete, hóquei e Nascar – não têm atletas representados.

14: Número de nacionalidades representadas na lista. Os EUA abrigam 35 dos atletas do ranking. O Reino Unido, com Tyson Fury, Lewis Hamilton e Rory McIlroy, é o único outro país com mais de um.

6: Número de atletas no top 50 que nunca apareceram em uma lista de atletas da Forbes. Entre eles estão o boxeador Jake Paul e os jogadores de futebol Josh Allen, Stefon Diggs, Marshon Lattimore, Ryan Ramczyk e T.J. Watt. Os enormes bônus de assinatura da NFL, que geralmente são pagos antecipadamente, garantem que a rotatividade seja alta.

Por exemplo, Matthew Stafford ocupa o 13º lugar na lista deste ano, com US$ 72,3 milhões (R$ 354,2 milhões) em ganhos totais, sendo US$ 60 milhões (R$ 294 milhões) de seu bônus de assinatura. Mas seus ganhos em campo devem cair para US$ 27,5 milhões (R$ 134,7 milhões) no próximo ano, o que – mesmo combinado com seus US$ 2,5 milhões (R$ 12,2 milhões) anuais fora de campo – provavelmente o manterá fora do top 50.

20: Número total de atletas no top 50 que não apareceram na lista do ano passado. Isso inclui nomes como Kawhi Leonard e Rory McIlroy, que entraram no ranking de 2020, mas ficaram de fora em 2021.

32: Idade média dos 50 atletas da lista deste ano. Kylian Mbappé, com 23 anos, é o mais jovem, e faz parte do grupo de sete atletas do ranking com 25 anos ou menos. Phil Mickelson, de 51 anos, é o mais velho. Quatro atletas estão na faixa dos 40 anos: Tiger Woods (46), Tom Brady (44), Roger Federer (40) e Serena Williams (40).

US$ 43,5 mil (R$ 1,1 milhão): Quantia que Tiger Woods ganhou em prêmios em dinheiro durante o período analisado, o menor montante de ganhos em campo da lista. Woods, cujos ferimentos de um acidente de carro em fevereiro de 2021 limitaram sua agenda de competições deste ano, chega em 14º lugar graças a cerca de US$ 68 milhões (R$ 333,2 milhões) em ganhos fora do campo.

Além de patrocínios lucrativos de marcas como Nike, Rolex e TaylorMade, ele ganhou US$ 8 milhões (R$ 39,2 milhões) com o Player Impact Program do PGA Tour, projetado para recompensar os golfistas que mais chamam a atenção para o jogo.

US$ 37,6 milhões (R$ 184,2 milhões): Valor mínimo para entrar no top 50 deste ano. Foi o total recebido pelo linebacker T.J. Watt, o último da lista. Isso supera o limite de US$ 34 milhões (R$ 166,6 milhões) do ano passado e representa um aumento de 69% desde 2013.

US$ 38 milhões (R$ 186,2 milhões): Ganhos de 12 meses de Jake Paul, incluindo US$ 30 milhões (R$ 147 milhões) de duas lutas e US$ 8 milhões (R$ 39,2 milhões) fora do ringue. A estrela do YouTube de 25 anos fez sua estreia no boxe profissional há menos de dois anos e meio, e desde então se tornou uma das maiores atrações do esporte.

US$ 40 milhões (R$ 196 milhões): valor recebido por Canelo Alvarez por causa de sua derrota em 7 de maio para Dmitry Bivol. A luta ficou de fora do período considerado pela Forbes e não contribuiu para o total de US$ 90 milhões (R$ 441 milhões) de Alvarez, que o colocou em 8º lugar. Se os US$ 40 milhões tivessem sido incluídos, Alvarez teria empatado com Lionel Messi em 1º lugar.

US$​​ 43 milhões (R$ 210,7 milhões): valor recebido por Conor McGregor, que lhe garante um empate em 35º lugar com Kylian Mbappé. Desconsiderando os US$ 150 milhões (R$ 735 milhões) estimados pela Forbes que ele ganhou no ano passado com a venda de sua participação majoritária na marca de uísque irlandesa Proper No. Twelve, isso representa um aumento de US$ 13 milhões (R$ 63,7 milhões) em relação a 2021, quando ele liderou o ranking com US$ 180 milhões (R$ 882 milhões).

US$ 45,3 milhões (R$ 221,9 milhões): valor recebido por Phil Mickelson, incluindo US$ 42 milhões fora dos campos. Mickelson não competiu desde que gerou polêmica, em fevereiro, com comentários de que estava disposto a ignorar supostas violações de direitos humanos na Arábia Saudita para ingressar em uma nova liga de golfe.

Patrocinadores como Workday, KPMG e Amstel Light o dispensaram, mas a perda foi compensada pelos US$ 6 milhões (R$ 29,4 milhões) que ele ganhou com o Player Impact Program do PGA Tour e a venda em agosto de seis campos de golfe dos quais ele era co-proprietário no Arizona.

US$ 49,5 milhões (R$ 242,5 milhões): valor recebido por Mike Trout. Isso o deixa perto do recorde de US$ 50,6 milhões (R$ 247,9 milhões) que ele estabeleceu para jogadores de beisebol em 2019, depois de assinar um contrato de US$ 426,5 milhões (R$ 2 bilhões) por 12 anos.

Trout, o único jogador da MLB na lista deste ano, recebeu um pagamento considerável por sua participação acionária na Bodyarmor quando a Coca-Cola comprou a marca de bebidas esportivas no ano passado. James Harden (nº 12, US$ 74,4 milhões, ou R$ 364,5 milhões) esteve entre os que levaram para casa uma bela recompensa por esse acordo.

US$ 59,2 milhões (R$ 290 milhões): valor recebido pela tenista Naomi Osaka, pouco menos dos US$ 60 milhões (R$ 294 milhões) que ganhou no ano passado, quando estabeleceu um recorde para atletas do sexo feminino.

Serena Williams aumentou seus ganhous de 12 meses para US$ 45,3 milhões (R$ 221,9 milhões), a melhor marca de sua carreira, mas os dois ases do tênis, que estão em 19º e 31º, são as únicas mulheres a aparecer no top 50.

US$ 80,9 milhões (R$ 396,4 milhões): valor recebido por Giannis Antetokounmpo, e também o limite mínimo para um atleta figurar entre o dez primeiros da lista. O montante é o mais alto de todos os tempos, acima dos US$ 75 milhões (R$ 367,5 milhões) do ano passado.

US$ 121,2 milhões (R$ 593,8 milhões): valor recebido nos últimos 12 meses por LeBron James, um recorde para um jogador da NBA, superando a marca de US$ 96,5 milhões (R$ 472,8 milhões) que ele estabeleceu no ano passado. Ele é um dos quatro atletas – junto com Roger Federer, Conor McGregor e Tiger Woods – a ganhar mais de US$ 70 milhões (R$ 343 milhões) fora do campo em um ano. Ele levou para casa cerca de US$ 80 milhões (R$ 245 milhões) no período analisado pela Forbes.

US$ 130 milhões (R$ 637 milhões): total recebido por Lionel Messi, que igualou o recorde que ele estabeleceu no ano passado e o empurrou para o topo do ranking deste ano. Em sua primeira temporada no Paris Saint-Germain, o salário de Messi caiu cerca de US$ 22 milhões (R$ 107,8 milhões) em relação ao seu último ano no Barcelona, ​​mas uma nova parceria importante com o aplicativo de engajamento de fãs Socios ajudou a compensar a diferença.

690 milhões: número de seguidores de Cristiano Ronaldo no Instagram, Facebook e Twitter, de longe o maior entre atletas. Isso ajuda a explicar as taxas altíssimas que ele pode cobrar de patrocinadores como Nike e Herbalife.

US$ 1,06 bilhão (R$ 5,1 bilhões): o valor que os 50 principais atletas deste ano arrecadaram fora de campo, que inclui patrocínios e outros empreendimentos comerciais. O valor supera o recorde do ano passado de US$ 1,04 bilhão (R$ 5 bilhões).

Roger Federer lidera neste ano com US$ 90 milhões (R$ 441 milhões), o que corresponde a quase o total recebido por ele no período (US$ 90,7 milhões, ou R$ 444,4 milhões).

Sete atletas faturaram pelo menos US$ 50 milhões (R$ 245 milhões) fora do campo: LeBron James (US$ 80 milhões, ou R$ 392 milhões), Tiger Woods (US$ 68 milhões, ou R$ 333,2 milhões), Naomi Osaka (US$ 58 milhões, ou R$ 284,2 milhões), Lionel Messi (US$ 55 milhões, ou R$ 269,5 milhões), Cristiano Ronaldo (US$ 55 milhões, ou R$ 269,5 milhões), Tom Brady (US$ 52 milhões, ou R$ 254,8 milhões) e Kevin Durant (US$ 50 milhões, ou R$ 245 milhões).

Compartilhe esta publicação: