Rússia adianta pagamentos da dívida para evitar calote

Compartilhe esta publicação:

Por Karin Strohecker

Acessibilidade


LONDRES (Reuters) – A Rússia adiantou dois pagamentos de sua dívida internacional nesta sexta-feira, em sua mais recente tentativa de evitar um calote que está em jogo desde a invasão da Ucrânia.

Uma semana antes de um prazo para pagamentos de juros e apenas cinco dias antes de expirar uma importante isenção dos Estados Unidos que permite tais transferências, o Ministério das Finanças russo disse que transferiu 71,25 milhões de dólares por um título denominado em dólar e 26,5 milhões de euros referentes a notas denominadas na moeda única.

A Rússia enfrenta a perspectiva de inadimplência soberana desde que capitais ocidentais impuseram amplas sanções em resposta à invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro. O país foi praticamente isolado do sistema financeiro global e teve cerca de metade de suas reservas de 640 bilhões de dólares no exterior congeladas.

A Rússia, que retaliou com algumas contramedidas próprias, conseguiu continuar pagando sua dívida até agora por causa de uma licença especial do Tesouro dos EUA, que permite que detentores de títulos internacionais recebam esse tipo de pagamento do governo russo.

Essa isenção deve terminar em 25 de maio, no entanto, e a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, sinalizou nesta semana que não será estendida.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os 40 bilhões de dólares em títulos internacionais da Rússia, dos quais cerca de metade é detida por investidores estrangeiros, surgiram como um ponto crítico nos últimos meses.

O ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov, disse na quarta-feira que Moscou pagará suas obrigações de dívida externa em rublos se os Estados Unidos bloquearem outras opções e que Moscou não se declarará inadimplente, pois tem meios para pagar.

Mas parece cada vez mais improvável que o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros dos EUA amplie a licença que a Rússia precisa para fazer pagamentos após seu vencimento, em 25 de maio.

Aqueles que apoiam uma extensão argumentam que permitir o pagamento da dívida russa drenaria o caixa de guerra do país ao forçar Moscou a usar suas receitas em moeda forte para pagar seus credores.

Opositores dizem que a Rússia tem que pagar menos de 2 bilhões de dólares em sua dívida externa até o final do ano, o que é pouco em comparação com a receita de petróleo e gás de quase 28 bilhões de dólares que Moscou obteve somente em abril, graças aos altos preços da energia.

Os próximos pagamentos após o de 27 de maio são de 235 milhões de dólares referentes a dois eurobônus com vencimento em 23 de junho.

Compartilhe esta publicação: