Siderúrgicas tentam convencer governo a descartar corte em imposto de importação de vergalhão

SÃO PAULO (Reuters) – Produtores de aço reuniram-se nesta terça-feira com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tentar convencer o governo a ignorar pleito do setor da construção civil para redução do imposto de.

Compartilhe esta publicação:

SÃO PAULO (Reuters) – Produtores de aço reuniram-se nesta terça-feira com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tentar convencer o governo a ignorar pleito do setor da construção civil para redução do imposto de importação de vergalhões, disse a entidade que representa as siderúrgicas do país, Aço Brasil.

Acessibilidade


Na véspera, fonte com conhecimento do assunto afirmou que o governo federal avaliava zerar o imposto de importação que incide sobre onze produtos alimentícios e do setor de construção, “incluindo o aço”.

Mas na tarde desta terça-feira, executivos do Aço Brasil afirmaram, após reunião com Guedes, que a discussão no governo sobre o Imposto de Importação envolve apenas o vergalhão e que se trata de redução de 10,8% para 4% até o final deste ano.

Segundo a entidade, o Brasil é um dos países que menos reajustaram o preço do vergalhão no mercado interno nos últimos 12 meses e que os consumidores do produto, notadamente empresas do setor da construção civil, estão plenamente abastecidos desde meados do ano passado.

O presidente do Aço Brasil, Marcos Eduardo Faraco, que também é executivo da Gerdau, afirmou que a decisão sobre o imposto é esperada para a quarta-feira.

“A expectativa é que o governo não acolha o pleito (pela redução do imposto) e que reverta essa orientação”, disse Faraco, a jornalistas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

(Por Alberto Alerigi Jr.; edição de André Romani)

Compartilhe esta publicação: