Tendência de fragmentação global está forte, alerta chefe do FMI

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Dan Burns

DAVOS, Suíça (Reuters) – A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse nesta quarta-feira que está menos preocupada com o risco de a guerra na Ucrânia e uma nova desaceleração na China desencadearem uma recessão global do que com a força da tendência de fragmentação econômica e política.

No mês passado, o FMI reduziu sua perspectiva de crescimento global para 2022 a 3,6%, de 4,4% anteriormente, o segundo rebaixamento deste ano, e Georgieva repetiu seu alerta de que os eventos desde então podem levar a cortes adicionais nos prognósticos.

Isso, no entanto, não é o que mais pesa em sua mente no momento, disse ela durante um painel de discussão no Fórum Econômico Mundial.

“O que mais nos preocupa não é o fato de termos esses rebaixamentos, porque de 3,6% para território negativo, para a economia mundial, há um longo caminho a percorrer”, avaliou Georgieva.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O que mais nos preocupa é o risco de entrarmos em um mundo com mais fragmentação, com blocos comerciais e blocos monetários, separando o que até agora era uma economia mundial integrada.”

“A tendência de fragmentação é forte”, disse Georgieva durante uma sessão intitulada “Cortina de Ferro econômica: cenários e suas implicações”.

“Eu fui criada do outro lado da Cortina de Ferro. Eu odiava. E posso dizer a vocês que me assusta que talvez estejamos cambaleando depois da guerra quente para outra guerra fria.”

Compartilhe esta publicação: