Tesla interrompe maior parte da produção em fábrica em Xangai

A Tesla planejava fabricar menos de 200 veículos em sua fábrica em Xangai hoje, de acordo com o memorando, muito abaixo do ritmo de 1.200 unidades diárias.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Aly Song/Reuters
Aly Song/Reuters

A Tesla interrompeu a maior parte da produção em sua fábrica em Xangai devido a problemas para garantir peças para os veículos elétricos

Acessibilidade


A Tesla interrompeu a maior parte da produção em sua fábrica em Xangai devido a problemas para garantir peças para os veículos elétricos, de acordo com um memorando interno visto pela Reuters.

As vendas da montadora de veículos elétricos já haviam caído 98% na China em abril em relação ao mês anterior, mostraram dados da CPCA, entidade setorial do país, hoje, ressaltando o impacto dos rígidos lockdowns contra a Covid-19 na região.

A Tesla planejava fabricar menos de 200 veículos em sua fábrica em Xangai hoje, de acordo com o memorando, muito abaixo do ritmo de 1.200 unidades diárias imposto logo após a reabertura da unidade em 19 de abril. A planta ficou fechada por 22 dias.

A Tesla não respondeu a um pedido de comentário.

Após a reabertura, a fábrica produziu 10.757 veículos até o final de abril, vendendo 1.512 deles, informou a entidade setorial.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O número compara-se com os 65.814 carros vendidos em março e representa o menor montante de vendas desde abril de 2020, na ocasião quatro meses depois do início da entrega de carros fabricados na China pela fabricante. A Tesla não exportou nenhum Model 3 ou Model Y produzidos na unidade em abril, mostraram os dados.

Duas pessoas familiarizadas com as operações da Tesla disseram anteriormente que a fábrica em Xangai suspendeu a operação na segunda-feira, depois de enfrentar dificuldades na aquisição de suprimentos.

A empresa pretendia aumentar a produção na fábrica para 2.600 carros por dia já na próxima semana, informou a Reuters anteriormente.

Compartilhe esta publicação: