Zeca Feffer troca o automobilismo pelo mercado imobiliário

Feffer se juntou ao sócio Otto Bichucher para fundar a incorporadora Civelec e Pax.

Diana Lott
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

O primeiro empreendimento da dupla é o DomTomás122, um condomínio de casas no Retiro Morumbi, na capital paulista

Acessibilidade


Zeca Feffer, 31 anos, está trocando as pistas de automobilismo pelo mercado imobiliário. O filho mais novo de David Feffer, presidente do conselho da Suzano (SUZB3), se juntou ao sócio Otto Bichucher para fundar a incorporadora Civelec e Pax, focada em imóveis de alto padrão.

Para se preparar para o desafio, Feffer trabalhou por seis meses em uma incorporadora, onde viveu o dia a dia do setor. “Há uns dois anos atrás, meu pai me apresentou o mercado imobiliário e eu fiquei apaixonado. Nós tínhamos um terreno no Morumbi e o Otto é um amigo de longa data da família, daí surgiu a ideia de chamá-lo para ajudar a tocar esse projeto”.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A estratégia da dupla passa por uma curadoria rigorosa dos terrenos e projetos. “O Otto é muito detalhista, por isso queria ele como sócio”, diz Feffer, em tom de brincadeira.

maquete de empreendimento de casas ao meio; do lado esquerdo, Zeca Feffer, em pé; do lado direito, Otto Bichucher
Divulgação

Zeca Feffer e Otto Bichucher com a maquete do DomTomás 122

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Bichucher conta que o foco dos dois é desenvolver empreendimentos com os quais eles se identifiquem.

“Vejo hoje que, se a lei permite 10 mil metros quadrados de área construída, as empresas não querem perder nem um metro sequer. Esse é o lema dessas construtoras e incorporadoras que têm que dar resultados para seus acionistas. No nosso caso, não; nós temos a liberdade de fazer um empreendimento onde nós moraríamos”, diz ele.

O primeiro projeto da Civelec e Pax, o DomTomás 122, é um condomínio no Retiro Morumbi, na capital paulista. Cada uma das 11 casas, projetadas pelo escritório AMZ, tem entre 347 e 476 metros quadrados, piscina e jardim próprios.

Compartilhe esta publicação: