BCE vai elaborar nova ferramenta para ajudar membros endividados da zona do euro

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


FRANKFURT (Reuters) – O Banco Central Europeu vai redirecionar os reinvestimentos das dívidas a vencer para ajudar os membros mais endividados e conceberá um novo instrumento para deter a fragmentação, disse o banco nesta quarta-feira, procurando amenizar as perdas no mercado que têm alimentado os temores de uma nova crise de dívida.

Os rendimentos dos títulos governamentais dispararam na periferia do bloco monetário de 19 países desde que o BCE revelou na última quinta-feira planos de aumentar os juros em julho e setembro para domar a inflação dolorosamente alta que está em risco de se tornar arraigada.

A liquidação foi exacerbada pela ausência de qualquer plano concreto do BCE para limitar este aumento dos custos de empréstimo, o que levantou temores de que as autoridades sejam muito complacentes com a situação de nações mais endividadas como Itália, Espanha e Grécia.

“O Conselho do BCE decidiu que aplicará flexibilidade no reinvestimento dos resgates a vencer na carteira do PEPP, com o objetivo de preservar o funcionamento do mecanismo de transmissão da política monetária”, disse o BCE após uma rara reunião não programada.

O PEPP é o esquema de suporte do BCE devido à pandemia, que foi recentemente encerrado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Além disso, o Conselho do BCE decidiu designar os Comitês relevantes do Eurosistema junto com os serviços do BCE para acelerar a conclusão do projeto de um novo instrumento anti-fragmentação”, acrescentou.

(Reportagem de Balazs Koranyi e Francesco Canepa)

Compartilhe esta publicação: