Debate no Fed sobre alta de juros será entre 0,5 p.p e 0,75 p.p.

John Williams, do Fed de Nova York, disse que o aumento dos juros deve continuar e não espera uma recessão no país.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Brendan McDermid/Reuters
Brendan McDermid/Reuters

Sede do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos.

Acessibilidade


O presidente do Federal Reserve de Nova York, John Williams, disse hoje (28) que o banco central dos Estados Unidos precisa aumentar a taxa de juros rapidamente para desacelerar a economia e a inflação, incluindo um possível segundo aumento de 0,75 ponto percentual no próximo mês, mas afirmou que não espera uma recessão no país.

Até o final do ano, Williams disse em entrevista à CNBC, a taxas de juro precisa “definitivamente” estar entre 3% e 3,5%, acrescentando que neste momento parece “perfeitamente razoável” que a taxa do Fed chegue a 3,5%-4% no próximo ano, um nível em que restringirá o crescimento econômico.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Precisamos avançar rapidamente”, disse Williams. “Em termos de nossa próxima reunião, acho que 0,50 (ponto percentual) ou 0,75 será claramente o debate.”

O Fed aumentou neste mês os juros em 0,75 ponto, para uma faixa de 1,5%-1,75%, para combater a inflação que está na máxima em 40 anos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os custos de empréstimo mais elevados diminuirão o crescimento econômico para entre 1% e 1,5% este ano, e a taxa de desemprego, agora de 3,6%, provavelmente subirá para mais de 4% nos próximos anos, disse ele.

Mas os juros mais altas não causarão o colapso da economia, disse ele.

“Recessão não é o meu cenário básico”, disse Williams. “Eu acho que a economia é forte.”

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: