Empresa de criptomoedas BlockFi acerta crédito rotativo de US$ 250 milhões com FTX

Aumentos agressivos de juros pelo Federal Reserve e temores de recessão provocaram uma liquidação de criptomoedas

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

As empresas usam linhas de crédito rotativo como financiamento de apoio para combater impactos adversos em outras fontes de renda

Acessibilidade


A BlockFi assinou um termo de compromisso com a corretora de ativos digitais FTX para uma linha de crédito rotativo de US$ 250 milhões (R$ x), disse Zac Prince, o presidente-executivo da empresa de criptomoedas, em um tuíte hoje (21).

O acordo dará à BlockFi acesso a capital em meio a uma derrocada no mercado de moedas digitais. Na semana passada, a empresa anunciou redução de cerca de 20% no quadro de funcionários, além de outras medidas de corte de custos, como gastos com marketing e remuneração de executivos.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O fundador e presidente-executivo da FTX, Sam Bankman-Fried, disse em um tuíte que a linha de crédito permitirá que a BlockFi “navegue no mercado a partir de uma posição de força”.

Aumentos agressivos de juros pelo Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, e temores de recessão levaram a uma turbulência nos mercados acionários e provocaram uma liquidação de criptomoedas. No fim de semana, o bitcoin, principal criptomoeda do mundo, caiu abaixo do nível-chave de 20 mil dólares pela primeira vez desde dezembro de 2020.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O colapso também prejudicou outros gigantes do setor, como a Coinbase, que na semana passada anunciou corte de cerca de 18% dos funcionários.

As empresas usam linhas de crédito rotativo como financiamento de apoio para combater impactos adversos em outras fontes de renda. Na maioria das vezes, essas estruturas permanecem não utilizadas.

Compartilhe esta publicação: